Escola Estadual Luiz Orione - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Escola Estadual Luiz Orione – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

A diretora da Escola Estadual Luiz Orione em Guiratinga, Maura Maria Dalabrida, ainda não recebeu nenhum documento oficial sobre o contrato firmado entre a Diocese e o Governo do Estado que define o aluguel da instituição por mais um ano e por isso a situação da Orione ainda preocupa a sociedade guiratinguense.

Na semana passada, mais uma vez o Estado cogitou o fechamento da escola alegando falta de aluno. A intenção seria fundir a Luiz Orione com a Escola Estadual Santa Terezinha, mas depois de muita manifestação da população, surgiu a informação de que o Governo havia feito um novo contrato de aluguel, uma vez que o espaço onde a escola está situada é da Diocese de Rondonópolis.

Leia também:  Colaborador morre após cair de prédio em construção em Rondonópolis

“Recebemos a informação da Diocese, porém não veio nenhum documento oficializando”, ponderou Maura.

Mesmo que a escola continue a funcionar em 2015, pais de alunos ainda estão apreensivos, já que não querem passar pelo mesmo transtorno no ano que vem.

A empresária Guilhermina Ferreira, que foi aluna, professora e tem uma filha estudando na instituição, afirma que é contra a extinção da escola.

“Não queremos a junção e sou contra o fechamento da Luiz Orione. É uma escola de mais de 80 anos que faz parte da história de Guiratinga. Vou lutar enquanto tiver forças para que isso não aconteça”, explicou Guilhermina.

Guilhermina também relembrou que em março deste ano, a escola já havia sido destaque na imprensa, uma vez que as portas da instituição chegaram a ser fechadas. Fato que foi revertido após pressão popular. Veja Aqui.

Leia também:  Que tal, macarrão com camarão para hoje?
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.