Mais de 17,3 mil detectores de metal serão usados nos locais de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste final de semana. De acordo com o ministro da Educação, Henrique Paim, todos os locais de aplicação terão pelo menos um aparelho.

O objetivo é evitar fraudes. Os candidatos não poderão portar equipamentos eletrônicos durante a prova. Aqueles que o fizerem serão eliminados. No ano passado, 47 candidatos foram eliminados por publicarem fotos e textos nas redes sociais e por portarem eletrônicos.

“Será o mesmo processo do ano passado. Vamos fazer este ano com mais rigor. Qualquer tentativa de fraude será coibida, e aqueles que quiserem fazer isso têm que ter consciência de que podem ser eliminados”, diz Paim.

Leia também:  Jornalista e colunista da Globo morre aos 63 anos no RJ

Os detectores poderão ser usados a qualquer momento, como previsto no edital. Para os candidatos que têm algum impedimento de serem submetidos ao procedimento, como aqueles que utilizam marcapasso, deverão levar para o exame um laudo médico.

“O Enem é um exame que a cada ano vem se consolidando, e representa para cada jovem e pessoa, que participa, a experiência de ter acesso ao ensino superior e educação profissional”, diz Paim, ressaltando que cresce a responsabilidade do Ministério da Educação (MEC) e Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) com a segurança e estabilidade do exame.

Neste ano, mais de 8,7 milhões de candidatos farão as provas em 1,7 mil cidades. Serão 17,3 mil locais de aplicação e 242,9 mil salas. As provas foram encaminhadas aos municípios em 74,3 mil malotes com lacre eletrônico, que registam o horário do fechamento do malote na gráfica e horário que foi aberto no local de aplicação da prova, aumentando a segurança.

Leia também:  Homem mata e enterra inquilino no quintal e se apresenta para a polícia
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.