O campeão dos médios do UFC, Chris Weidman, participou de um perguntas e respostas com fãs na Austrália, nesta quinta-feira, e demonstrou muita confiança em suas habilidades. Questionado por um fã sobre os próximos desafiantes ao seu título, ele afirmou que não acredita que a categoria tenha um adversário capaz de acabar com o seu reinado:

– Com todo o respeito à divisão, ninguém vai me bater em 84 kg. Todos são talentosos, todos têm uma ameaça, mas ninguém vai me vencer – declarou.

O americano participou do evento ao lado dos atletas Uriah Hall, Alex Chambers e Matt Brown. Com embate marcado contra Vitor Belfort, no dia 28 de fevereiro, em Los Angeles, ele voltou a cutucar o brasileiro, que conseguiu a licença para o duelo depois de uma audiência na Comissão Atlética de Nevada (NAC), em julho. Na oportunidade, a entidade prometeu submeter Vitor a testes antidoping surpresas até o fim de sua carreira, devido ao fato de o lutador brasileiro ter apresentado níveis elevados de testosterona em um exame antidoping realizado em fevereiro. Na época, ele fazia uso da terapia de reposição de testosterona (TRT), que foi banida pela comissão posteriormente. O primeiro dos testes prometidos na audiência da NAC foi aplicado na semana passada, a partir de um acordo entre a Comissão de Nevada e a Comissão Atlética da Califórnia, mas os resultados dos exames de sangue e urina do “Fenômeno” ainda não foram divulgados.

Leia também:  Rodada "madrasta" coloca Luve de volta ao Z-4

– Ele acabou de fazer um teste (antidoping) outro dia e espero que ele passe. Esse é o meu primeiro pensamento. O segundo pensamento é o dia 28 e fevereiro, quando vou dominá-lo completamente. Não gosto de chutar alguém caído, mas ele foi pego trapaceando duas vezes, e isso coloca combustível no fogo. Mas são negócios. Eu estou esperando um Vitor duro, estou esperando o melhor Vitor, porque eu não posso esperar nada menos. Quando ele foi nocauteado pelo Anderson Silva, disseram que ele amarelou porque não queria explodir e ficar cansado. Agora que ele não está mais tão musculoso, ele não tem essa desculpa. Não há nada mais assustador para lutadores do que se cansar. Ele não tem mais isso para se preocupar. Não estou preocupado com ele, mas sim com (o fato) de ele trapacear.

Leia também:  Copa de 94 volta à tona com histórias de Romário e loira de Rondonópolis

Weidman ainda se mostrou surpreso ao ser questionado sobre a possibilidade de uma terceira luta contra o ex-campeão da divisão, Anderson Silva, a quem derrotou por duas vezes sendo a primeira por nocaute, em julho do ano passado, e a segunda por nocaute técnico, em dezembro:

– Por que? Há rumores? Não sabia. Anderson Silva pela terceira vez? Se é o que as pessoas gostariam de ver, faríamos. Se seria um salário fácil? Mais ou menos.

O campeão também falou sobre a possibilidade de enfrentar outro brasileiro, Ronaldo Jacaré, atual segundo colocado no ranking da divisão:

– Ele é um cara duro, tem ótimo jiu-jítsu, seu jogo em pé está melhorando. É certamente um cara que provavelmente vou enfrentar em breve.

Leia também:  Circuito de Tênis começa nesta quarta em Cuiabá

Antes de encerrar a sua participação, o americano deu a sua opinião sobre a luta principal do UFC desta sexta-feira, entre Luke Rockhold e Michael Bisping:

– Acho que o Rockhold vence, mas quero ver uma luta empolgante. Acho que o caminho do Bisping vencer é frustrar o Rockhold e levar na decisão – finalizou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.