O papa Francisco apelou hoje (25) aos deputados europeus para construir “uma Europa que gire não em torno da economia, mas da sacralidade da pessoa humana” e criticou a centralidade das “questões técnicas e econômicas” no debate político.

O discurso foi feito de manhã no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, 26 anos depois de João Paulo II ter discursado no mesmo local em 1988. Na época, o papa recordou, logo no início de sua fala, que o mundo estava diferente, já sem os “blocos contrapostos” que dividiam a Europa, mas também “mais complexo e em intensa movimentação”.

Sobre a União Europeia, específicamente, o papa argentino considerou que, nos últimos anos, “cresce a desconfiança dos cidadãos relativa às instituições”, vistas como distantes do povo.

Leia também:  Curandeiro se entrega a policia por ato de canibalismo "estou cansado de comer carne humana"

“Os grandes ideais que inspiraram a Europa parecem ter perdido a força de atração em favor do tecnicismo burocrático de suas instituições”, disse Francisco perante mais de 700 deputados e também comissários europeus, além do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

O chefe máximo da Igreja Católica acrescentou que, na União Europeia, “constata-se lamentavelmente a preponderância das questões técnicas e econômicas” no debate político, em vez da centralidade na pessoa.

“Na vocação de parlamentares, sois chamados também a uma grande missão, ainda que possa parecer não lucrativa: cuidar da fragilidade dos povos e das pessoas”, apelou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.