Na tradicional oração do Angelus, na praça de São Pedro, no Vaticano, o papa Francisco disse ontem (9) que a humanidade “precisa de pontes, não de muros”, em referência aos 25 anos da queda do Muro de Berlim. Francisco rezou para que se desenvolva uma cultura de reencontro, “suscetível de fazer cair todos os muros que dividem o mundo e para que jamais inocentes sejam perseguidos e às vezes mortos pelas suas crenças e sua religião”.

Em sua oração, o papa lembrou do papa santo João Paulo II e sua participação no processo que culminou na derrubada do muro que divida a Berlim Ocidental da Oriental. “Foi há 25 anos que caiu o Muro de Berlim, que durante tanto tempo dividiu uma cidade ao meio e simbolizou a divisão ideológica da Europa e do mundo inteiro”, disse o papa.

Leia também:  Teste nuclear pode ter sido o causador de desmoronamento que matou 200 pessoas na Coreia do Norte

“Essa queda chegou de forma inesperada, mas foi possível graças ao compromisso de um longo e difícil compromisso de tantas pessoas, que lutaram e rezaram, e para muitas até o sacrifício das suas vidas. Entre eles, o papa santo João Paulo II, que teve um papel importante”, acrescentou.

Na sexta-feira (7), uma fileira de 8 mil balões, com cerca de 15 quilômetros, foi instalada sobre o traçado do muro, que durante 28 anos dividiu a cidade em duas. Hoje, a Alemanha celebra os 25 anos da queda do Muro de Berlim com uma grande festa no Portão de Brandeburgo, um dos principais símbolos da Alemanha. Os balões serão desatados e libertados no céu de Berlim, ao som da 9.ª Sinfonia do compositor alemão Ludwig van Beethoven.

Leia também:  EUA estuda método para acabar com a injeção e tirar sangue sem dor
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.