O preço dos produtos na saída das fábricas ficou em 0,67% mais caro em outubro. As informações são de acordo com o Índice de Preços ao Produtor (IPP) divulgado hoje (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com os dados, a taxa é inferior à inflação de setembro (0,95%). No entanto, é superior ao índice de outubro do ano passado, que havia registrado deflação de 0,45%.

Durante o mês de outubro, 17 das 23 atividades pesquisadas pelo IBGE tiveram aumento de preços. Os principais impactos no indicador vieram dos alimentos com 0,99%, outros produtos químicos 0,94%, outros equipamentos de transporte 3,44% e veículos automotores com 0,61%.

Leia também:  Justiça suspende regra sobre respeito aos direitos humanos em redação do Enem

Alguns outros fatores também apresentaram aumento nos preços, como é o caso do fumo que aumentou em 3,63%, madeira 3,43%, calçados e artigos de couro com 1,5%, papel e celulose 1,3%, móveis 1,19% e máquinas, aparelhos e materiais elétricos tiveram aumento de 0,97%.

ÍNDICES DE PREÇOS AO PRODUTOR

O IPP acumula taxas de 2,76% no ano e de 4,04% em 12 meses. O índice mede a variação de preços mensal de produtos da indústria da transformação, em todo o país, descontados os custos com fretes, impostos e tarifas.

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.