Por falta de repasses do Ministério das Cidades, a Avida Construtora, empresa licitada para a obra de parte das moradias do Residencial Celina Bezerra, manterá apenas 10% da equipe de trabalho para tocar as obras em Rondonópolis. Com 55% da obra já concluída, até então com recursos próprios, o Banco do Brasil – BB ainda não fez nenhuma medição e não liberou o pagamento. Os recursos não passam pela Prefeitura, são liberados pelo Ministério das Cidades via BB.

Para não colocar em risco a saúde financeira da empresa, conforme explica o engenheiro responsável pelas obras, Jair Pinheiro Taques, ficou definido que 90% dos homens que trabalhavam na obra – 140 pessoas – serão deslocados de Rondonópolis para outra obra da empresa em Sinop.

Leia também:  Esquadrilha da fumaça surpreende público com show aéreo em Rondonópolis

Além dos trabalhadores, materiais também serão encaminhados para Sinop, incluindo, segundo o engenheiro, quatro formas metálicas que eram utilizadas para fazer as paredes de concreto da construção.

Taques ressalta ainda que a empresa pretende finalizar as obras dos 4.030 apartamentos do Residencial Celina Bezerra. Os trabalhadores que continuarão nas obras estão instruídos para realizar acabamentos nos prédios já erguidos e construir a cobertura.

De acordo com o engenheiro, a empresa, além da construção dos apartamentos, também executará todas as obras de infraestrutura do Residencial.

O Residencial Celina Bezerra tem ainda mais 1.440 apartamentos em construção, porém a empresa licitada para esta parte é a Aurora, que continua no canteiro de obras.

Leia também:  Inscrições para desfile cívico de 7 de Setembro estão abertas

O prazo para a entrega dos apartamentos é até o fim de 2015.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.