Após a onda de violência registrada nas últimas 12h em Rondonópolis, um reforço policial está sendo enviado de Cuiabá para concentrar as operações. De acordo com o comandante Regional, coronel Walter Silveira, já está sendo desenvolvido um trabalho para elucidar todos os crimes que ocorreram na cidade de ontem (15) para hoje (16).

Para o coronel a quantidade de mortes e tentativas de homicídios nesta madrugada não tem ligação com a morte do policial. “O sargento era um homem de bem, com 24 anos de serviço militar, era atleta, religioso. Não consigo fazer uma ligação com as outras mortes que aconteceram no mesmo período. Só se existia algo na vida pessoal que não sabemos” fala o coronel.

Leia também:  Chácara é invadida por quadrilha e caseiro é amarrado no Globo Recreio

O comandante Regional confirmou para equipe de reportagem do site AGORA MT, que no momento em que o sargento Aelson Alves de Souza, foi assassinado a equipe plantonista da PM recebeu uma ligação em tom de ameaça. A pessoa que ligou comunicou a morte do policial e afirmou que mais militares irão morrer.

“Durante o meu comando nunca houve caso de morte entre nossa equipe. Os policiais estão de luto, porém, mesmo após as ameaças, não temem. Essa é a nossa profissão, estamos cientes que corremos riscos” afirma o coronel.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.