dilma rousseffE vejam só: Dilma Roussef também está de dieta. Ela quer perder 13 kg até a posse, dia 1º de janeiro, e para isso, recorreu à Dieta de Ravenna. O acompanhamento da presidenta está sendo feito pelo endocrionologista argentino Máximo Ravenna, que tem clínica na Av. Rebouças, em São Paulo.

O emagrecimento de Dilma terá um precinho salgadinho; são R$ 790 para adesão ao programa e R$ 1916 de manutenção, que inclui consultas, nutricionista e aulas de ginástica. Dilma também voltou a fazer caminhadas periódicas e leva seu lanchinho todos os dias para o Palácio do Planalto. Isso que é força de vontade.Entenda como funciona a dieta de Ravenna

O tratamento médico, com foco em educação comportamental, foi criado em Buenos Aires, em 1991, pelo médico e terapeuta argentino Dr. Máximo Ravenna. Na prática, são três os objetivos que norteiam o projeto: corte (de calorias e de atitudes e pensamentos que possam levar à compulsão), medida (diminuir as porções e encontrar a medida adequada) e distância (ações para não voltar a comer em excesso).

Leia também:  Conheça os sintomas e as consequências do TDAH - Transtorno de Décifit de Atenção com Hiperatividade

O método Ravenna é baseado na alimentação paleolítica, ou seja, os carboidratos refinados – açucares e farinhas – são cortados por completo e se fazem presentes apenas nas frutas e verduras inseridas no cardápio permitido. Por isso, o Ravenna não é considerado uma dieta protéica. Com a redução da glicose, o corpo começa a consumir a gordura presente no corpo, promovendo o emagrecimento.

O interessado passa por uma avaliação inicial global e clínica por uma equipe interdisciplinar, composta por médicos, nutricionistas, psicólogos e educadores físicos, que vai direcionar o tratamento e individualizá-lo. Primeiro é feito um exame de bioimpedância. É por meio dele que é medida a quantidade de água, gordura e músculo presente no corpo para então definir a meta de emagrecimento.Os grupos são acompanhados por psicólogos, que fornecem suporte e base teórica nesta fase de mudança de comportamento e percepção corporal.

Leia também:  Doenças inflamatórias intestinais: as novidades e os desafios

“O médico acompanha o paciente da indicação do tipo de dieta à intervenção, caso haja alguma intercorrência. E o educador físico direciona o paciente ao movimento correto e prepara o corpo para as mudanças estruturais que a perda de peso traz”, explica Camila Avileis, nutricionista do Centro Terapêutico Máximo Ravenna de São Paulo.

As pacientes têm acesso total a todos os profissionais envolvidos, em qualquer etapa do tratamento, e com a ajuda deles conseguem perder entre 5% a 7% de peso logo no primeiro mês. Ao passo que o método oferece todo suporte é preciso seguir todas as orientações nutricionais e comparecer as reuniões ou grupos terapêuticos, e sem desculpas para faltar ou atrasar por conta de imprevistos pessoais.

Leia também:  Uma uva sem sementes está sendo desenvolvida no Brasil
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.