O consumidor está pagando mais caro no preço da energia. Durante o mês de outubro o consumo registrou alta de 2%, em comparação com mesmo período do ano passado. As informações foram divulgadas ontem (01), na Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica, publicada pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Os setores que mais puxou o aumento foi o comércio, com 7,6%, e as residências, com 5,2%. Já a indústria, no mesmo período, apresentou retração de 4,9%.

As altas temperaturas no período, que ficaram entre 5 graus Celsius (º C) e 10º C acima da máxima normal climatológica para o período na faixa que se estende entre o Paraná e o Mato Grosso, é considerada um dos fatores que contribuíram para a elevação no preço da energia no comércio e nas residências, conforme aponta a EPE.

Leia também:  Preço da gasolina sobe para R$4,11 nos postos de Rondonópolis

Outra explicação, segundo a EPE, é a expansão do consumo de energia como reflexo na área de vendas, movimentação dos aeroportos e turismo.

Nas residências, a compra de novos equipamentos eletrodomésticos é um dos vetores de crescimento no consumo elétrico, que subiu de 163 kilowatts/hora por mês (kWh/mês), em outubro de 2013, para 166 kWh/mês em outubro deste ano.

Ao contrários do crescimento dos dois setores, foi registrada retração na indústria, como resultado da baixa atividade no setor. Entre os segmentos que apresentaram maior recuo no consumo elétrico, estão metalurgia (-18,4%), químico (-9%) e fabricação de veículos, reboques e carroceria (-7,8%).

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.