A prisão dos irmãos Fábio, Dalmi e Jorge Defanti, foi revogada nesta quinta-feira (25), pela juíza Maria Rosi de Meira Borba, da 8ª Vara Criminal. Os irmãos são acusados de fazerem parte de um esquema de fraude em licitação no valor de R$ 40 milhões, investigados na operação “Edição Extra”.

Eles haviam sido presos de forma preventiva em Cuiabá por suspeita de terem destruído suposta provas que os ligariam ao esquema do fraude da licitação, investigado pela Polícia Civil.

A decisão também se estende a Alessandro Francisco Nogueira, funcionário da gráfica Print.

De acordo com informações, a juíza entendeu que não havia mais motivos para que os investigados permanecessem presos. Mas, determinou que os suspeitos compareçam mensalmente em juízo, que não cometam novo delito. Eles também estão proibidos de deixar a comarca sem avisar a Justiça.

Leia também:  PJC prende dono de posto por vender combustível roubado

ENTENDA O CASO

De acordo com a Polícia Civil, a licitação investigada no caso foi realizada em 2011 pela SAD para a contratação de gráficas por meio da Secom.

As empresas foram contratadas para fazer cartões de visita, cartazes, cartilhas, certificados, banners, folders, convites, envelopes, panfletos, crachás, formulários, entre outros. A licitação começou a ser investigada depois da denúncia de um empresário que teria sido convidado a participar do conluio para concorrer.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.