Até o momento, três deputados já apresentaram formalmente suas candidaturas à Presidência da Câmara dos Deputados para o biênio 2015/2016: Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Júlio Delgado (PSB-MG).

Eduardo Cunha
Eduardo Cunha afirma que pelo menos 167 deputados o apoiam: “O PRB também está aderindo e temos ainda o PHS. Outros partidos estão programados para aderir. Seremos com segurança o maior bloco para a eleição.”

PMDB, PTB, Democratas, Solidariedade e PSC já formalizaram seu apoio a Eduardo Cunha. Todos esses partidos contam com 166 deputados eleitos.

Ex-líder do PP, o deputado Arthur Lira (AL) também participou do ato de lançamento da candidatura de Cunha e disse que grande parte da legenda deve votar nele, mesmo sem apoio oficial.

Cunha defendeu uma candidatura que não seja “nem de oposição nem de submissão”. “A candidatura vai defender o direito do governo de governabilidade, porque ele foi eleito para isso, mas vai ser respeitosa com o direito da oposição para fazer o seu papel de debate, como prevê o Regimento”, disse.

Leia também:  Juíza Selma afirma que Inteligência da PJC fez grampo ilegal

Arlindo Chinaglia
PCdoB, Pros, PDT e PT declararam apoio a Arlindo Chinaglia, o que somaria 110 votos. Mas o candidato está buscando apoio de outros partidos. “Estou ouvindo bastante, procurando entender as motivações. Felizmente não tenho encontrado restrições no plano pessoal. As circunstâncias da política são normais. Então nós não temos alternativa, vamos permanecer nesse caminho.”

Caso seja eleito, Chinaglia ressaltou que a ampliação do contato da Câmara com a sociedade civil, para identificar as principais demandas da população, será uma das prioridades de sua gestão.

Na quinta-feira (18), Chinaglia, que é o 1º vice-presidente da Câmara, disse na tribuna do Plenário que sua candidatura à Presidência da Câmara não tem o apoio do governo.

Leia também:  PP de Blairo pode receber grupo do PSB

Júlio Delgado
O deputado Júlio Delgado formalizou sua candidatura na liderança do PSDB. Além dos dois partidos, Delgado conta com o apoio do PV e do PPS. Na legislatura que começa em 2015, os quatro partidos vão somar 106 votos.

Delgado afirma que sua candidatura é a única independente, pois nenhum dos partidos que o apoia vai indicar ministros para o próximo governo. “Espero que a gente possa estar começando uma caminhada em busca de uma verdadeira independência do Poder Legislativo.”

Entre as prioridades de sua gestão, Júlio Delgado apontou que “trabalhará para que o Parlamento seja respeitado e visto em pé de igualdade em relação aos demais poderes”. Ele defendeu a independência do Legislativo, já que “só assim a Casa terá o respeito da sociedade”.

Leia também:  Ministro Edson Fachin separa investigação sobre Temer e Aécio Neves no STF

Eleição
A eleição para a Presidência da Câmara e para os demais cargos da Mesa Diretora ocorrerá no dia 1º de fevereiro, a partir das 18 horas. A posse dos deputados será realizada no mesmo dia, às 10 horas.

Até às 17 horas do dia da eleição poderá haver lançamento de candidaturas. A abertura dos trabalhos legislativos está marcada para o dia 2 de fevereiro, às 15 horas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.