A quantidade de passaportes emitidos em Mato Grosso em 2014, de janeiro até o início de dezembro, aumentou 8,29%, com 997 emissões a mais que o total verificado no mesmo período do ano passado. Em 2013, foram registrados 12,024 mil requerimentos do documento junto à Polícia Federal, entre os meses de janeiro até a 1ª semana de dezembro. Do total de emissões realizadas este ano, 99,70% foram de passaportes comuns, que somaram 12,982 mil documentos. Comparado com 2013, a procura este ano cresceu 8,12%, considerando que no ano passado foram emitidos 12,006 mil passaportes.

Já as emissões de passaportes de emergência e para estrangeiros tiveram o maior aumento este ano, com alta de 118% e 100%, respectivamente, sobre 2013. De janeiro até a 1ª semana de dezembro de 2014 foram liberados 35 passaportes de emergência e 4 para estrangeiros, ante o volume de 16 passaportes de emergência e 2 para estrangeiros em 2013.

Se a demanda pelo documento que garante os embarques internacionais é crescente no Estado, a procura por pacotes de viagens internacionais este ano não seguiu a mesma tendência, especialmente a partir do 2º semestre de 2014. É o que afirma o proprietário da Universal Turismo, Horácio de Souza Neto. “Depois das eleições, caiu bastante as vendas de pacotes turísticos para o exterior”. Com o dólar turismo cotado a R$ 2,72 atualmente, muitos turistas esperam para garantir o passeio internacional num momento em que o câmbio estiver mais favorável, diz ele. “Em setembro foi possível negociar com o dólar na média de R$ 2,25, mas subiu muito desde então e o brasileiro está mais pé no chão”, avalia.

Leia também:  Governador sanciona lei que assiste direitos dos portadores de câncer

Aqueles que pretendem embarcar para outros países devem garantir as passagens e hospedagem com no mínimo 3 meses de antecedência, completa o proprietário da Universal Turismo. “Quem comprou com antecedência visando as férias de fim e início de ano vai viajar, mas terá que controlar os gastos”, pondera. Nesta época, a maioria dos mato-grossenses embarcam com destino aos Estados Unidos (Miami e Nova Iorque), Europa (França e Itália) e México (Cancún).

Habituada a embarcar para os Estados Unidos com a família, a universitária Aldimara Gonçalves, 30, conta que precisa renovar o passaporte da filha de 11 anos que no momento está em solo norte-americano. “Eu tenho dupla cidadania e acho que a emissão de passaportes no Brasil demora muito, nos Estados Unidos conseguimos em até 48 horas”.

Prorrogação – O prazo de validade dos passaportes brasileiros comuns, oficiais e diplomáticos foi ampliado de 5 para 10 anos, conforme decreto publicado no Diário Oficial da União (D.O.U) no dia 12 de dezembro de 2014. Os passaportes já emitidos permanecem com a validade registrada no documento, mas não é necessário esperar até o vencimento do atual para solicitar um novo, informa a Polícia Federal. Pela confecção do novo documento é cobrada uma taxa no valor de R$ 156,07.

Leia também:  Governo do Estado rompe definitivamente negociações com o Consórcio VLT Cuiabá

Viagens de intercâmbio – Nos meses de dezembro e janeiro, os embarques de passageiros em viagens de intercâmbio internacional aumenta até 30% em Mato Grosso, em comparação com outros meses do ano. Os turistas, em sua maioria, são jovens estudantes e profissionais que buscam o aperfeiçoamento do idioma, ou escolar, em cursos fora do país, como explica o diretor da BTS, Gavur Kirst.

Nessa época do ano, os turistas aproveitam as férias escolares ou do trabalho e permanecem até 2 meses em outros países. Geralmente, os destinos escolhidos são Canadá, Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia. Estes 2 últimos países são escolhidos pela similaridade com o clima brasileiro nesta época do ano. “Lá é verão, com altas temperaturas, igual aqui”, completa Kirst.

Julho também é um mês que concentra mais embarques motivados pelos intercâmbios, mas não tanto quanto em dezembro e janeiro. “Em julho, acontecem mais programas em grupo, com os turistas permanecendo no máximo 3 semanas fora”. Pela permanência de 1 mês em território estrangeiro, cada turista costuma dispor, em média, de R$ 10 mil, já considerando as despesas com passagens aéreas, seguro, hospedagem e cursos, afirma o diretor da BTS. Ele acrescenta que não é comum os jovens associarem o intercâmbio internacional ao trabalho. “Estudar e trabalhar é um programa extremamente limitado, já que poucos países aceitam empregar estrangeiros facilmente”.

Leia também:  Dois homens morrem eletrocutados enquanto trabalhavam em posto de combustível em MT

De Mato Grosso, alguns jovens já embarcaram com essa finalidade para Dubai, nos Emirados Árabes, segundo o proprietário da MTV Intercâmbios, Marcelo Toledo. Em geral, atuam no segmento hoteleiro, com permanência de 3 meses. “Em uma semana conseguimos marcar a entrevista internacional com o empregador, a partir do agenciamento e pagamento da nossa taxa”, detalha ele.

“De Mato Grosso, atendemos duas pessoas, sendo uma de Rondonópolis e outra de Cuiabá, desde que começamos a atuar no mercado”. Toleto admite que muitas pessoas têm receio e por isso ele recomenda que pesquisem sobre a agência. “Atendemos muitos brasileiros que foram e voltaram e estão satisfeitos com a viagem”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.