A falência da Marussia pode gerar um prejuízo de 30 milhões de euros (cerca de R$ 100 milhões) para Ferrari e McLaren, que estão entre os credores da extinta equipe russa. De acordo com reportagem do jornal britânico “The Telegraph”, as perdas são de 21 milhões de euros (R$ 70 milhões) para a escuderia italiana e de 9 milhões de euros (R$ 30 milhões) para o time britânico. Forçada a fechar as portas diante de uma grave crise financeira, a Marussia deixou cerca de 200 credores e interrompeu pagamentos a fornecedores e parceiros no início de novembro.

A Ferrari forneceu os motores V6 turbo para a Marussia durante a temporada 2014, enquanto a McLaren prestou serviços de engenharia à equipe, que vai leiloar carros e equipamentos pela internet, com o objetivo de arrecadar recursos para quitar parte das dívidas. Entre os itens que serão vendidos estão conjuntos de macacão, guarda-chuvas, volantes e outros acessórios, além dos carros pilotados por Max Chilton e Jules Bianchi no último campeonato. Os motores serão vendidos à parte.

Leia também:  Academia e União vão disputar o Estadual Sub-17

A Marussia encerrou suas atividades oficialmente no início de novembro, após fracassar na tentativa de conseguir novos investidores. O time se ausentou das três últimas provas da temporada, disputadas nos Estados Unidos, no Brasil e em Abu Dhabi. A equipe entrou na modalidade, em 2010, como Virgin, e dois anos depois, foi renomeada após a aquisição do controle majoritário pela montadora russa Marussia Motors. A escuderia se despediu da maior categoria do automobilismo mundial com apenas dois pontos, conquistados por Jules Bianchi no GP de Mônaco deste ano, quando o francês terminou em nono.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.