O Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller (PMDB) afirmou em entrevista que não irá entregar o cargo que ocupa na gestão da presidente Dilma (PT) por não temer as acusações que foram feitas contra ele na operação ‘Terra Prometida’ que ocorreu no sábado (29). Dois irmãos do ministro também tiveram o nome envolvido.

Geller afirmou que está no cargo pelo trabalho realizado que tem na área e não por mendigar o posto e por isso continuará atuando como sempre. Ele afirmou também que não acredita que os irmãos tenham culpa, mas que se tiverem terão que responder.

Odair e Milton Geller, irmãos do ministro, foram presos na sexta-feira (28) na operação da Polícia Federal que investiga o esquema de venda ilegal de lotes destinados a reforma agrária. Estima-se prejuízo de R$ 1 bilhão aos cofres públicos.

Leia também:  Maluf defende mais investimentos na Atenção Básica

Como tem foro privilegiado, as informações dadas por uma testemunha sobre o suposto envolvimento de Geller foram encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Mesmo caso não seja confirmado o envolvimento, a saída do ministro já é dada como certa na reforma ministerial deste segundo mandato.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.