Fim de ano é época em que as pessoas, geralmente, fazem um balanço do ano que passou e traçam metas para o que está por vir. Com Luiz Zanon, técnico do São José Basquete e da seleção brasileira feminina, não é diferente. Ao chegar ao fim de 2014, o treinador vê com bons olhos os últimos 12 meses e faz planos para os próximos 12. Tanto para a equipe do Vale do Paraíba, quanto para a seleção feminina.

Se Zanon colocasse todos os desejos para 2015 no papel, a lista seria grande. Com a Seleção, almeja uma medalha nos Jogos Pan-Americanos de Toronto (Canadá) e que disputar o pré-olímpico para fortalecer a nova geração que está em formação.

– (Com o São José) gostaria que esse grupo voltasse com a mesma energia que terminou o ano. Temos dois jogos em casa para fechar o primeiro turno. Se conseguirmos duas vitórias, temos muita chance de terminar entre os quatro melhores do primeiro turno. Espero, em 2015, passar pela primeira fase da Liga das Américas e, quem sabe, terminar o campeonato entre os quatro melhores das Américas. Também gostaria de ir para os playoffs (do NBB) bem classificado – destacou o treinador.

Leia também:  Federação realiza arbitral após desistências em série

Os desejos de Luiz Zanon para a equipe joseense vão além. No início desta temporada, o São José sofreu com a demora para a definição do orçamento e, por conta disso, a preparação da equipe foi prejudicada. Para a próxima, deseja que o planejamento seja feito com antecedência.

– Gostaria que as situações orçamentárias, de diretoria, tivessem praticamente resolvidas lá para março. Assim, em abril e maio, já teríamos um cronograma e um planejamento do que vamos fazer. Isso com muito dinheiro ou com pouco. Com o orçamento definimos, podemos caminhar de forma mais programada. Com menor ou maior limitação, mas com um trabalho mais programado. Isso que é o que mais gostaria. Até para tentarmos agregar pessoas de alta referência, o perfil dos jogadores e do time. Isso para não termos o atropelo que tivemos neste ano. Acho que isso já seria um bom presente para o São José em 2015 – comentou.

Leia também:  Árbitros de Mato Grosso participam de curso promovido pela CBF

Primeiro ano no São José

Luiz Zanon assumiu o São José em janeiro de 2014. Foi contratado em um momento conturbado do time, que havia demitido Régis Marrelli e Edvar Simões há pouco tempo. Apesar dos problemas, os joseenses conseguiram a classificação aos playoffs do NBB e terminaram o torneio na terceira colocação. O feito é um dos motivos de orgulho para o treinador neste ano.

– Tivemos momentos difíceis e conseguimos reverter. Com este grupo que está começando, também iniciamos com problemas. Desde que cheguei, nunca peguei uma situação confortável. Este grupo passou por momentos difíceis. Eu sentia o potencial do time, mas ele não conseguia expor isso. Estava muito acanhado, ele foi se soltando e, agora no final, estou vendo essa alegria nos olhos e o jogador mais confiante na maneira dele. Acho que crescemos. É um time que ainda tem muito a crescer – disse.

Leia também:  Após derrota, Luve tem desafio contra o Oeste

– Foi um ano extremamente positivo, gratificante. Com muito trabalho, mas muito feliz com as conquistas que tivemos. Meu 2014 foi muito bom. Um ano em que eu trabalhei, me dediquei, me reciclei, vi muita coisas boas, aprendi bastante com os jogadores e com as meninas… Estou em um lugar que me deixa feliz. Tanto que vou passar a virada de ano com meus familiares aqui. Gostei muito. Vamos ver se, em 2015, conseguimos coisas boas também – completou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.