A moeda norte-americana voltou a fechar no maior valor em nove anos, ultrapassando o nível de R$ 2,60. Essa é a terceira alta consecutiva.

O dólar comercial encerrou a segunda (08) vendido a R$ 2,611 com alta de 0,7%. O valor é o mais alto desde 18 de abril de 2005, quando a cotação tinha fechado em R$ 2,616.

O dólar acumula alta de 1,55% em dezembro e de 10,77% no ano.

GOVERNO

Desde a reeleição da presidenta Dilma Rousseff, o dólar tem registrado grande volatilidade. A cotação não caiu mesmo após a confirmação da nova equipe econômica, com Joaquim Levy no Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa no Ministério do Planejamento e Alexandre Tombini no Banco Central.

Leia também:  Pecuaristas iniciam setembro mais otimistas em MT

Mesmo com o aumento da taxa Selic (juros básicos da economia) para 11,75% ao ano, o dólar não tem caído.

Em tese, os juros domésticos mais altos ajudam a derrubar o dólar porque ampliam a diferença das taxas brasileiras em relação às dos Estados Unidos, tornando o Brasil mais atrativo para os aplicadores internacionais.

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.