A Prefeitura de Rondonópolis encaminhou nesta sexta-feira (19) duas solicitações, uma para a Polícia Federal e outra para o Tribunal de Contas do Estado (TCE) para esclarecer a denúncia feita pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rondonópolis (Sispmur) contra a diretoria do Instituto Municipal de Previdência dos Servidores de Rondonópolis (Impro).

De acordo com o procurador geral do município, Fabrício Miguel Correa, a denúncia do Sispmur que acabou no pedido de intervenção da diretoria do Impro (veja aqui), se baseou em três argumentos, sendo que o 1º era sobre uma investigação do Ministério Público que resultou em um inquérito civil público para apurar supostas irregularidades nos investimentos do Instituto.

Leia também:  Moradores são despejados em reintegração de posse no bairro Rui Barbosa

“A diretoria informou que os investimentos estão dentro do padrão e que não haveria irregularidades”, conta o procurador. O 2º argumento seria de que a Polícia Federal estaria conduzindo um inquérito para investigar o Impro. “Por isso encaminhei hoje ao delegado um ofício pedindo se os membros da diretoria do Instituto foram ou se são investigados pela Polícia Federal”, explica.

Já o 3º e último argumento da denúncia seria com base em um relatório prévio das contas do Impro realizado por uma auditora. “Na verdade o relatório que vale mesmo é o conclusivo que é emitido pelo conselheiro, então solicitei que o TCE envie informações sobre as contas do período de 2009 a 2013 para ver se realmente há alguma falha”, explica.

Leia também:  Aula inaugural marca o início de cursos gratuitos para a população

Segundo o procurador, apesar de não ter indícios de irregularidades, o município vai buscar esclarecimentos sobre a acusação.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.