A soja e o milho - Foto: Reprodução
A soja e o milho movimentam a economia do município – Foto: Reprodução

Sorriso, município localizado a 460 quilômetros ao norte de Cuiabá, caminha a passos largos para se tornar a 3ª maior economia de Mato Grosso em curto espaço de tempo. O principal indicador dessa velocidade, movida a soja e milho, é a expansão anual do Produto Interno Bruto (PIB) que, em um intervalo de um ano, adicionou cerca de um bilhão de reais à receita local.

Conforme dados divulgados ontem pelo IBGE, a cidade, que fechou 2011 e 2012 como a 4ª maior economia mato-grossense, passa a ameaçar, como nunca a 3ª posição ocupada por Várzea Grande. O PIB é a soma é a soma de todos os bens e serviços produzidos por um país, estado ou município.

Em 2012, o PIB sorrisense atingiu R$ 3,81 bilhões, incremento anual R$ 880 milhões, ou avanço de 30%, sobre a receita de R$ 2,93 bilhões de 2011. Enquanto isso, no mesmo período, o PIB várzea-grandense passou de R$ 4,04 bilhões para R$ 4,06 bilhões, 0,50%.

Sorriso e Várzea Grande são extremos do ‘top 5’: de um lado a maior evolução anual e do outro, a menor. Várzea Grande, que até o início dos anos 2000 era a segunda maior economia do Estado, cedeu posição para Rondonópolis e agora está notoriamente ameaçada por Sorriso, cidade com pouco mais de 65 mil habitantes. Várzea Grande mantém a segunda maior população de Mato Grosso com 250 mil habitantes.

Leia também:  Atuante

Em 2012, a capital nacional do agronegócio – como ficou reconhecida – produziu cerca de 2,1 milhões de toneladas de soja e 2,8 milhões de milho, totalizando quase 5 milhões de t em um único ciclo. A safra de milho superou pela primeira vez a de soja, naquele ano. Sorriso destina anualmente a maior área mundial à sojicultura para um município: cerca de 600 mil hectares. O agronegócio representa cerca de 80% do PIB e sustenta em 100% a pauta de exportações.

Como destaca o IBGE, o aumento no valor da produção foi decorrente da produção de milho que, em relação ao ano anterior, cresceu 124,6%. Considerando apenas o valor adicionado pela agropecuária, Sorriso – que já liderou o ranking dos maiores PIBs agrícolas do Brasil – ficou novamente em segundo lugar ao somar R$ 982,88 milhões. O topo seguiu com São Desidério (BA), R$ 1,14 bilhão.

CONCENTRAÇÃO – Cinco cidades mato-grossenses seguem concentrando, juntas, pouco mais de um terço do PIB de Mato Grosso. De um total de R$ 80,83 bilhões gerados em 2012, R$ 29,9 bilhões vieram de Cuiabá, Rondonópolis, Várzea Grande, Sorriso e Primavera do Leste. Os municípios mais ricos do Estado concentram 36,8% da riqueza estadual. Em 2011, os mesmos cinco foram responsáveis por 38% dos R$ 71,41 bilhões. Desses, três têm a receita diretamente originada no agronegócio.

Leia também:  Sine intermedeia mais de mil vagas de emprego em 24 municípios

Cuiabá segue liderando o ranking estadual de maior PIB: R$ 13,29 bilhões em 2012, ante R$ 12,40 bilhões em 2011, seguido de Rondonópolis, R$ 5,88 bilhões (R$ 5,77 bilhões, 2011), Várzea Grande, R$ 4,06 bilhões (R$ 4,04 bilhões, 2011), Sorriso, R$ 3,81 bilhões (R$ 2,93 bilhões, 2011) e Primavera do Leste, que fecha o ‘top 5’ com PIB de R$ 2,86 bilhões (R$ 2,60 bilhões, 2011).

DESTAQUE – A agropecuária é o maior gerador de riquezas para Mato Grosso. O valor adicionado bruto do segmento (VA), ao PIB estadual, passou de 8% para 10,4%, incremento anual de 2,4 pontos percentuais (p.p.), o maior observado no país.

Considerando ainda a agropecuária, dos 100 maiores PIBs do país, Mato Grosso participa com 26 municípios, contra 19 em 2011. Ainda como reflexo da pujança do campo, a agropecuária sustenta outro ranking elaborado pelo IBGE, o das 100 maiores rendas per capita do país, no qual o Estado surge com 14 representantes, todos eles com a economia local dependente do agronegócio. Em 2011 eram dez cidades.

Leia também:  Cerca 14 mil vagas serão disputadas em concurso da Politec-MT neste domingo

O maior destaque nacional para o Estado é a renda per capita de Campos de Júlio, noroeste do Estado, que é a 10ª maior do Brasil, R$ 167,73 mil por habitante. O município, de forte presença na produção de grãos e que desponta com a produção de etanol a partir do milho, tem 5.494 habitantes.

Entre os 30 maiores PIBs da região Centro-Oeste, Mato Grosso participa com 13 municípios, um a mais que o registrado pelo IBGE em 2011. Na região, Cuiabá com PIB de R$ 13,29 bilhões ocupa a quarta colocação, a 17ª ao considerar apenas as capitais brasileiras, a 42ª entre os cem maiores PIBs do Brasil e o maior de Mato Grosso.

Considerando a per capita cuiabana em R$ 23,69 mil por habitante, o valor ocupa 10ª entre as capitais, a 2ª do Centro-Oeste e a 49ª no país.

INVERSO – Entre os 30 menores PIBs do Centro-Oeste, Mato Grosso tem cinco representantes: Araguainha (2º), Serra Nova Dourada (10º), Luciara (17º), Novo Santo Antônio (20º) e Ponte Branca (27º).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.