O governador eleito Pedro Taques (PDT) assumirá o Governo do Estado com déficit orçamentário de R$ 1,790 bilhão. As informações foram divulgadas pela equipe de transição durante uma audiência pública na manhã desta segunda-feira (22).

De acordo com o futuro secretário de Planejamento, Marco Marrafon, as despesas de pessoal sem cobertura gira em torno de R$ 800 milhões. Ainda conforme Marrafon, R$ 600 milhões de custeio são das secretarias em relação a Lei Orçamentária de 2014 e também sem previsão orçamentária, e em torno de R$ 400 milhões com custo da dívida consolidada que não está prevista no orçamento que se tem em mão.

Os restos a pagar, que são despesas empenhadas e não pagas até 31 de dezembro, devem somar R$ 767 milhões.

Leia também:  Adonias quer construção de rede de esgoto em bairros da região Salmen

A falta de planejamento e organização podem ter sido um dos fatores que atribuiu as dívidas do Estado, conforme acredita o futuro secretário.

De acordo com o secretário, a folha de pagamento dos servidores públicos, pode ser comprometida para o próximo ano. “Por enquanto (a folha) ainda não está comprometida, mas é possível. Se continuar deste jeito não resiste ao ano que vem. Tem que ter a reforma para que não tenha dificuldades em pagar folha” afirmou o secretário durante entrevista a um site cuiabano.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.