Na 2ª etapa de vacinação contra Febre Aftosa realizada de 1º a 30 de novembro de 2014 em Mato Grosso, 28.376.081 animais, entre bovinos e bubalinos de mamando a caducando, o que corresponde a 99,6% do rebanho, foram vacinados. Desde 2005 as etapas têm alcançado índices de vacinação superiores a 99%, verificando-se homogeneidade entre as regiões do estado. O balanço da vacinação foi divulgado na última sexta-feira (23.01).

Mato Grosso tem o maior rebanho do país, está livre da doença há 19 anos e é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa com vacinação. Os números atualizados da população de bovinos e bubalinos revelam um total de 28.487.977 animais no Estado.

Leia também:  Detran aponta que excesso de velocidade é a infração mais cometida em MT

Existem 103.859 propriedades de atividade pecuária no estado. O Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) esteve pressente em 3.316 propriedades e acompanhou a vacinação de 2.565.373 cabeças. De acordo com o presidente do Indea, Guilherme Nolasco, “a baixa inadimplência é resultado de incessantes trabalhos de divulgação, educação sanitária, fiscalização, e principalmente da conscientização e apoio dos produtores rurais, que confiam nessa iniciativa para manter o rebanho livre da doença”.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Seneri Paludo, destacou que o resultado da campanha é um exemplo positivo. “Representa não só a preocupação econômica, mas também a preocupação do pecuarista com a segurança alimentar”, afirmou.

O Indea está visitando as propriedades que não realizaram a vacinação do rebanho dentro do prazo da campanha. O produtor é notificado e sofre sanções como multa em 2,25 Unidade Padrão Fiscal (UPF) por animal não vacinado. E ainda tem até 72 horas, da data da comunicação, para realizar a vacinação assistida por um técnico do Indea.

Leia também:  Mais de 4 mil pessoas já foram atendidas no projeto Sábado Social

As atividades realizadas pelo Instituto contam com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e ainda com entidades ligadas ao setor pecuário, como a Famato, Acrimat, Acrismat, Sindifrigo, Ovinomat e o Fesa, que contribuem com as medidas de prevenção contra a febre aftosa.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.