O jornal satírico francês “Charlie Hebdo” anunciou neste sábado (17) que voltará a ampliar sua tiragem de cinco para sete milhões de exemplares após o atentado da semana passada em Paris.

A revista, cuja tiragem normal é de 60 mil exemplares, havia inicialmente ampliado a primeira edição posterior ao ataque para cinco milhões.

Além disso, o site oferece a possibilidade de assinar a revista, fazer uma doação ou baixar em aplicativos o último número, no qual uma caricatura de Maomé – que transformou a revista em alvo terrorista – abre o novo exemplar com um cartaz em que se lê a frase que representou o apoio do mundo A favor da liberdade de expressão: “Je suis Charlie”.

Leia também:  Filha de presidente posta foto amamentando e gera polêmica no país asiático

A sede da revista em Paris foi atacada no último dia 7 pelos irmãos Saïd e Chérif Kouachi, que mataram 12 pessoas, inclusive seu diretor, Stéphane Charbonnier, o Charb, e quatro dos cartunistas mais famosos da França.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.