Os casos de dengue em Rondonópolis caíram aproximadamente 94% de 2013 para 2014. Em relação a 2012 também houve queda de pelo menos 22%. Os meses com maior incidência da doença foram janeiro, fevereiro e março. Para 2015 os trabalhos continuam para manter baixo o número de casos.
Segundo o gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Edgar Prates, os índices caíram em função de um trabalho em várias frentes. “Foram intensificadas as ações de prevenção com o trabalho reforçado dos agentes de combate a endemias”, exemplifica Prates.
Além disso, o Plano Municipal de Contingência da Dengue, que envolveu a sociedade e várias Secretarias Municipais deu reforço ao trabalho que vinha sendo realizado. Para este ano, o plano já está em prática e a intenção e continuar o trabalho reforçado e manter baixos o número de casos de dengue na cidade.
“A monitoração da infestação do Aedes Aegipty também tem papel fundamental na diminuição dos casos. Nós fazemos o monitoramento de toda a cidade e intensificamos as ações nas áreas de maior infestação”, explica Prates.
Outro fator indicado pelo gerente é que em 2013 – quando foram registrados 1.820 casos de dengue em Rondonópolis – houve a introdução da dengue tipo 4, da qual muitas pessoas não eram imunes.
Edgar Prates ressalta ainda o importante papel desempenhado pela população para o combate a dengue. “A população também vem se empenhando para evitar a proliferação do mosquito”, destaca.

Leia também:  Número do Samu volta a funcionar após problema devido às chuvas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.