Definitivamente, a chegada de Felipe Nasr, que estreia na Fórmula 1 como titular em 2015, teve um grande peso na Sauber. Nesta sexta-feira (30/01), a equipe suíça apresentou o C34-Ferrari. E no lugar do cinza dos últimos anos, seu novo carro é predominantemente azul e amarelo, cores do patrocinador trazido pelo brasiliense e da bandeira do Brasil, em uma pintura que lembra os carros guiados por Nasr na GP2. Por coincidência, são também as cores da bandeira do país do outro piloto do time, o sueco Marcus Ericsson. O restante do desenho aparece limpo, abrindo espaço para a chegada de novos parceiros para a escuderia, que enfrentou grandes dificuldades financeiras em 2014.

O Sauber C34-Ferrari entrará em ação já no próximo domingo, na abertura dos testes de pré-temporada no circuito espanhol de Jerez de la Frontera, na Espanha. A equipe explicou que mandará para a pista uma versão em desenvolvimento, ainda com muitos componentes do C33 de 2014, que serão substituídas ao longo das semanas de testes – há mais duas em Barcelona – até a abertura do campeonato, de 13 a 15 de março na Austrália. Marcus Ericsson será responsável por guiar o carro nos dias 1º e 4 de fevereiro, enquanto Felipe Nasr assume o volante 2 e 3 de fevereiro.

Leia também:  Copa do Brasil é a meta de Pesso

Novo bico

Além da pintura, a grande diferença visual da nova Sauber é o nariz, mais largo que o do ano passado, para se adequar as novas normas impostas pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) que visa evitar os bicos afinados que causaram estranheza dos fãs. A mudança, que gera um impacto visual positivo, provoca, por outro lado, um grande impacto na aerodinâmica, sendo uma dor de cabeça para os projetistas.

Com o C34 “brasileiro”, a Sauber busca apagar a decepção da temporada passada, sua pior da história, quando não marcou nenhum ponto e terminou em penúltimo, atrás da Marussia e à frente apenas da Caterham. A chefe da escuderia, Monisha Kaltenborn, garante que 2014 já está no passado.

Leia também:  Árbitros de Mato Grosso participam de curso promovido pela CBF

– O ano de 2014 foi muito decepcionante. No entanto, está no passado e o foco agora é o que vem a seguir. Aprendemos as lições e estamos confiantes para a nova temporada. Precisamos evoluir e ser capazes de lutar por pontos – bradou a comandante.

Equilíbrio aerodinâmico do carro foi foco para 2015

E para dar um salto de qualidade em 2015, uma temporada de poucas mudanças no regulamento técnico da F-1, a Sauber focou o desenvolvimento do carro em três áreas: performance em curvas de baixa, redução de peso e estabilidade nas frenagens. O objetivo é aprimorar o balanço e a resposta do novo carro em comparação ao instável modelo de 2014.

– Ganhamos muita experiência durante a temporada de 2014, o que terá uma grande influência no Sauber C34 – explica o projetista-chefe do time, Eric Gandelin.

Leia também:  Brasil dá show em Cuiabá e avança no Grand Prix

Buscando uma melhor aerodinâmica, as laterais do C34 são mais estreitas que as do C33, apesar da grande exigência de resfriamento das unidades motrizes V6 turbo. A refrigeração do carro, por sinal, foi um dos setores que mais recebeu dos engenheiros, para se adequar às variadas condições de temperatura nos diversos circuitos do calendário. Segundo a equipe, a arquitetura dos radiadores, agora posicionados horizontalmente foram “fundamentalmente revistos”. Além disso, entradas de ar nas laterais do cockpit serão usadas apenas em determinadas situações.

Cliente dos motores Ferrari há anos, a Sauber espera que o propulsor deste ano tenha uma performance mais forte que a de 2014, para ajudar no salto de qualidade. De acordo com a equipe, o objetivo da Ferrari com o novo motor foi, não só aumentar a potência, mas também otimizar a capacidade de recuperação e armazenamento de energia do carro.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.