Definitivamente, a chegada de Felipe Nasr, que estreia na Fórmula 1 como titular em 2015, teve um grande peso na Sauber. Nesta sexta-feira (30/01), a equipe suíça apresentou o C34-Ferrari. E no lugar do cinza dos últimos anos, seu novo carro é predominantemente azul e amarelo, cores do patrocinador trazido pelo brasiliense e da bandeira do Brasil, em uma pintura que lembra os carros guiados por Nasr na GP2. Por coincidência, são também as cores da bandeira do país do outro piloto do time, o sueco Marcus Ericsson. O restante do desenho aparece limpo, abrindo espaço para a chegada de novos parceiros para a escuderia, que enfrentou grandes dificuldades financeiras em 2014.

O Sauber C34-Ferrari entrará em ação já no próximo domingo, na abertura dos testes de pré-temporada no circuito espanhol de Jerez de la Frontera, na Espanha. A equipe explicou que mandará para a pista uma versão em desenvolvimento, ainda com muitos componentes do C33 de 2014, que serão substituídas ao longo das semanas de testes – há mais duas em Barcelona – até a abertura do campeonato, de 13 a 15 de março na Austrália. Marcus Ericsson será responsável por guiar o carro nos dias 1º e 4 de fevereiro, enquanto Felipe Nasr assume o volante 2 e 3 de fevereiro.

Leia também:  Luve perde e está de volta à Zona da Degola

Novo bico

Além da pintura, a grande diferença visual da nova Sauber é o nariz, mais largo que o do ano passado, para se adequar as novas normas impostas pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) que visa evitar os bicos afinados que causaram estranheza dos fãs. A mudança, que gera um impacto visual positivo, provoca, por outro lado, um grande impacto na aerodinâmica, sendo uma dor de cabeça para os projetistas.

Com o C34 “brasileiro”, a Sauber busca apagar a decepção da temporada passada, sua pior da história, quando não marcou nenhum ponto e terminou em penúltimo, atrás da Marussia e à frente apenas da Caterham. A chefe da escuderia, Monisha Kaltenborn, garante que 2014 já está no passado.

Leia também:  Cuiabá Arsenal encara último rival da 1ª fase do brasileiro

– O ano de 2014 foi muito decepcionante. No entanto, está no passado e o foco agora é o que vem a seguir. Aprendemos as lições e estamos confiantes para a nova temporada. Precisamos evoluir e ser capazes de lutar por pontos – bradou a comandante.

Equilíbrio aerodinâmico do carro foi foco para 2015

E para dar um salto de qualidade em 2015, uma temporada de poucas mudanças no regulamento técnico da F-1, a Sauber focou o desenvolvimento do carro em três áreas: performance em curvas de baixa, redução de peso e estabilidade nas frenagens. O objetivo é aprimorar o balanço e a resposta do novo carro em comparação ao instável modelo de 2014.

– Ganhamos muita experiência durante a temporada de 2014, o que terá uma grande influência no Sauber C34 – explica o projetista-chefe do time, Eric Gandelin.

Leia também:  Atleta da Seleção brasileira de Hóquei é assassinado com tiro na nuca em SP

Buscando uma melhor aerodinâmica, as laterais do C34 são mais estreitas que as do C33, apesar da grande exigência de resfriamento das unidades motrizes V6 turbo. A refrigeração do carro, por sinal, foi um dos setores que mais recebeu dos engenheiros, para se adequar às variadas condições de temperatura nos diversos circuitos do calendário. Segundo a equipe, a arquitetura dos radiadores, agora posicionados horizontalmente foram “fundamentalmente revistos”. Além disso, entradas de ar nas laterais do cockpit serão usadas apenas em determinadas situações.

Cliente dos motores Ferrari há anos, a Sauber espera que o propulsor deste ano tenha uma performance mais forte que a de 2014, para ajudar no salto de qualidade. De acordo com a equipe, o objetivo da Ferrari com o novo motor foi, não só aumentar a potência, mas também otimizar a capacidade de recuperação e armazenamento de energia do carro.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.