Quando Conor McGregor está por perto, as pessoas já têm certeza de que pode haver tudo no ambiente, menos tédio. No treino aberto para o “UFC: McGregor x Siver”, que aconteceu nesta quinta-feira em Boston, nos EUA, o peso-pena irlandês fez de tudo um pouco: riu, brincou, treinou duro e mostrou que José Aldo está, definitivamente em sua mente e em seu radar. Sentindo-se em casa – Boston tem a maior colônia irlandesa do mundo – o lutador fez questão de mostrar que era, mais uma vez, o dono do espetáculo. O Combate transmite a pesagem oficial no próximo sábado, às 19h (de Brasília), e o evento, na íntegra, ao vivo e com exclusividade, no domingo, às 21h. O Combate.com também transmite a pesagem e acompanha o evento em Tempo Real.

Presente ao evento, a repórter do canal Combate, Ana Hissa, teve a oportunidade de acompanhar a movimentação de todos os atletas – também estiveram presentes Donald Cerrone, Ben Henderson e Dennis Siver – e relatou como foi, de certa forma, coadjuvante da movimentação, já que, por algumas vezes, tornou-se uma espécie de “alvo” de McGregor e suas brincadeiras.

“Quando Conor McGregor foi ao Brasil em outubro do ano passado como convidado do UFC 179, eu tive a ideia de gravar uma matéria com ele em um grupo de capoeira, já que tinha lido em um artigo que ele praticava a arte brasileira.

Mal sabia eu que isso seria algo que marcaria dali em diante toda a nossa interação. O irlandês ficou maravilhado com a roda dizendo a todos os ventos que tinha sido uma das melhores experiências que teve na vida.

Leia também:  Cuiabá Arsenal encara último rival da 1ª fase do brasileiro

E hoje, no treino aberto do UFC em Boston, não foi diferente.

Podem falar o que quiserem, mas o falastrão sabe lidar com os fãs – e com as câmeras. Ao ser ovacionado pelo público que lotava a academia do UFC, mesmo com um frio de -3 graus nas ruas e chuva de neve, o irlandês chegou vestido dos pés ao pescoço com as roupas do recém firmando contrato com a Reebok. Ao pescoço porque na cabeça, claro, trazia um gorrinho do Boston Celtics, time local de basquete, que representa bem a força da ilha em Boston, já que aqui é a maior colônia de irlandeses no mundo.

Ao som nada apropriado de “Forever Young”, McGregor começou a se aquecer. Incomodado pelo som, digamos, “estranho” ao ambiente de luta, um fã colocou o som de “Notorious BIG”, apelido de Conor. Ele até ensaiou um sorriso simpático mas… aí ele me viu. E aí voltou a capoeira.

Durante a semana já tinha cruzado com ele no elevador e, antes mesmo de um bom dia, ele já foi logo falando “Oi, cadê meu CD de capoeira que você prometeu?”. Dessa vez, não foi diferente.
“Você tem música de capoeira aí para colocar no meu treino?” Quando fui colocar, ele voltou atrás: “Não, na verdade estamos em Boston, deixa para lá”, e saiu ensaiando logo depois alguns rabos de arraia e bananeiras…

Leia também:  Luve perde e está de volta à Zona da Degola

Mas aí ele já tinha me visto, né? E Brasil = Capoeira. Mas Brasil =… José Aldo.

Após avistar duas reluzentes réplicas de cinturão que enfeitavam a academia e pegá-las para si, desfilando com elas e colocando os objetos para “assistirem ao treino’, começaram as provocações ao brasileiro “Tô aqui limpando o cinturão para deixar brilhando, assim que quero que José Aldo me entregue, ouviu”.

Enquanto calmamente eu trocava a bateria da câmera esperando a retomada da ação do treino, quase morri do coração: McGregor em disparada, vendo que eu estava distraída, deu um chutão na lateral do octógono ao meu lado. “Essa aqui é para o José Aldo. Transmita para ele a mensagem”, disse para mim, em tom de brincadeira (um pouco ameaçadora, mas ok).

Eis que chega Dana White ao recinto, para o delírio do público. O presidente não falou com a imprensa mas foi abordado, claro, por Conor: “E o estádio, hein, como está o estádio? Vamos falar sobre o estádio…’ provocando risos de todos.

Pensei: “Ótimo, já tá pensando na luta no estádio e esqueceu de mim”.

Não só não esqueceu como quase me deu o maior susto da minha vida dando um soco na direção da minha câmera!!! (grade do octógono, obrigada por me proteger). “Eu vi uma brasileira”, disse ele, endereçando mais um golpe a José Aldo e me tomando o ar por alguns segundos antes de me certificar que minha lente não estava quebrada.

Leia também:  Colisão entre carreta e carro deixa três pessoas mortas na BR-163

Ao fim dos quase 40 minutos de treino aberto – contra 15 dos outros atletas – Conor falou com a imprensa afirmando que vai liquidar Siver, que pensa em ter o cinturão das categorias e que… claro…

“Eu estava brincando no treino com a repórter brasileira que conheci há algum tempo… Sei que Aldo é o número um dos fãs por lá, mas eu quis brincar um pouco”.

E a brincadeira deve esquentar mais ainda, já que nessa sexta-feira o campeão peso-pena do UFC chega a Boston para participar do tradicional “perguntas e respostas” feito antes da pesagem do evento. Para quem não lembra, McGregor foi sabatinado pelos torcedores brasileiros durante o mesmo evento no UFC 179. Aldo, que tem respondido o irlandês na mesma moeda das provocações, promete esquentar bem as perguntas relativas a quem considera “o bobo da corte’.

Eu só sei de uma coisa. Melhor eu gravar logo esse CD de capoeira antes que meu equipamento de trabalho sofra mais riscos.”

UFC: McGregor x Siver
18 de janeiro de 2015, em Boston (EUA)
CARD PRINCIPAL
Peso-pena: Conor McGregor x Dennis Siver
Peso-leve: Ben Henderson x Donald Cerrone
Peso-médio: Uriah Hall x Ron Stallings
Peso-leve: Norman Parke x Gleison Tibau
CARD PRELIMINAR
Peso-meio-médio: Cathal Pendred x Sean Spencer
Peso-meio-médio: John Howard x Lorenz Larkin
Peso-meio-médio: Zhang Lipeng x Chris Wade
Peso-mosca: Patrick Holohan x Shane Howell
Peso-leve: Johnny Case x Frank Perez
Peso-pena: Charles Rosa x Sean Soriano
Peso-meio-pesado: Sean O’Connell x Matt Van Buren
Peso-mosca: Tateki Matsuda x Joby Sanchez

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.