O delegado responsável por Itiquira, Santiago Rezende Sanches, em entrevista ao site AGORA MT afirmou que não é raro que suspeitos de crimes em Rondonópolis, como no caso esclarecido por eles sobre a morte do sargento da PM, sejam presos em Itiquira. Ele esclareceu que como em dois anos mais de 30 traficantes foram presos na cidade, o ‘mercado’ de venda de drogas ficou escasso e muitos indivíduos saem de Rondonópolis daqui para traficar lá.

O delegado disse que assim que chegou em Itiquira há pouco mais de 15 dias, o suspeito Felipe montou uma ‘boca de fumo’ e daí começaram as primeiras suspeitas na investigação. Com o andamento dos trabalhos os investigadores descobriram que ele e o menor teriam ido até a cidade em busca de esconderijo, já que tinham saído foragidos de Rondonópolis.

Leia também:  Colaborador morre após cair de prédio em construção em Rondonópolis

Com esses dados, eles começaram a troca de informações com investigadores de Rondonópolis e descobriram que se tratavam dos suspeitos de matar o sargento. “Nossos investigadores focaram muito neste trabalho e por isso o resultado foi positivo” elogiou o delegado.

Na cidade, 95% dos casos são esclarecidos e em dois anos todos os crimes envolvendo homicídio e latrocínio foram solucionados, segundo informações de Sanches.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.