É difícil prever o que Nick Diaz vai falar quando ele aparece para uma entrevista. Nesta quinta-feira, o americano participou de uma teleconferência com a imprensa para promover o UFC 183, que será realizado no dia 31 de janeiro, em Las Vegas (EUA), quando ele fará a luta principal do evento contra Anderson Silva. O americano, que é oriundo do peso-meio-médio (até 77kg), vai lutar entre os médios (até 84kg), mas ainda não está decidido se seguirá na divisão de cima ou voltará para a sua de origem.

– Eu tenho que sobreviver a esta luta antes de decidir o que eu vou fazer – afirmou o atleta.

Apesar da declaração não soar muito otimista quanto ao resultado, Diaz garante que lutar como peso-médio será mais fácil do que na categoria até 77kg, já que costuma sofrer muito com o corte de peso.

Leia também:  Árbitros de Mato Grosso participam de curso promovido pela CBF

– Vou me sentir um pouco mais forte e com mais energia. Certamente os dias são um pouco mais fáceis como peso-médio. Eu faço o melhor que posso para os fãs, para mim mesmo e para a minha família, independente de qualquer luta. Mas, quando eu luto nos meio-médios, principalmente quando luto três vezes por ano, não tem como eu estar 100% em todas estas lutas.  Nunca estou 100% em nenhuma delas, porque é difícil ter a preparação perfeita para lutar, cortar peso para bater 77kg e estar na melhor forma para treinar e fazer esse corte.Como peso-médio, tenho menos problemas com a minha energia. Agora estou aproveitando muito os treinos de MMA, de jiu-jítsu, mas lutar é um trabalho duro. É um emprego difícil de se ter – declarou o americano.

Leia também:  FMF confirma participação na Copa do Brasil de Seleções Estaduais Sub-20 da CBF

Quando perguntaram para Nick Diaz se ele viu aos confrontos entre Anderson Silva e Chris Weidman, o lutador disse ter assistido todas as lutas que pôde do brasileiro “para ver se tem algo que vá ajudar”. Entretanto, ele aposta mesmo na sua versatilidade para sair com a vitória no dia 31 de janeiro.

– Eu diria que estilisticamente eu sou um bom lutador. Não sou apenas um lutador unidimensional, então eu acho que isso vai me ajudar em qualquer luta. Meu ponto forte é ser mais versátil – analisou, antes de dizer que não tem opinião formada sobre se, em caso de vitória, se credenciará para disputar o cinturão dos médios ou dos meio-médios.

Leia também:  AssuRoo | Time de futsal de surdos de Rondonópolis conquista 2° lugar da competição em Campo Grande

UFC 183
31 de janeiro de 2015, em Las Vegas (EUA)
CARD PRINCIPAL
Peso-médio: Anderson Silva x Nick Diaz
Peso-meio-médio: Kelvin Gastelum x Tyron Woodley
Peso-leve: Joe Lauzon x Al Iaquinta
Peso-médio: Thales Leites x Tim Boetsch
Peso-meio-médio: Thiago Alves x Jordan Mein
CARD PRELIMINAR
Peso-galo: Miesha Tate x Sara McMann
Peso-médio: Ed Herman x Derek Brunson
Peso-mosca: Ian McCall x John Lineker
Peso-médio: Rafael Natal x Tom Watson
Peso-pena: Diego Brandão x Jimy Hettes
Peso-médio: Ildemar Marajó x Rick Monstro
Peso-médio: Thiago Marreta x Andy Enz

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.