Uma escuta telefônica do ex-secretário de Fazenda do Estado Éder Moraes, divulgada pela imprensa nesta segunda-feira (12), mostrou a revolta dele contra seus dois ex-chefes, Blairo Maggi (PR) e Silval Barbosa (PMDB), pela falta de consideração e apoio quando ele foi alvo de um mandado de busca e apreensão em janeiro de 2014. Éder ameaçou contar tudo sobre o suposto esquema e que antes de ser preso eles é que iriam.

Éder desabafou para o empresário Pérsio Domingos Briante, que foi o delator do caso conhecido como           “Escândalo dos maquinários” e afirmou saber que corria risco de morte, mas que isso não iria amedronta-lo.

Ele afirmou ainda que não havia recebido nenhuma ligação por parte de Maggi e Silval, demonstrando nenhum tipo de amizade e por isso estava se sentindo desprezado e tratado como um leproso. Éder ainda chamou os parlamentares de covardes e crápulas.

Leia também:  Meraldo assume na terça e cidade deve perder representatividade na AL

Os três são suspeitos de participares de um esquema de lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro que teria movimentado mais de R$500 milhões.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.