Acostumado a dominar a Fórmula 1 durante quatro temporadas, Sebastian Vettel saiu de sua zona de conforto no ano passado, quando a RBR enfrentou uma série de desafios após a introdução dos novos motores V6 turbo. Sem vencer uma etapa sequer e ofuscado pelo companheiro Daniel Ricciardo, que subiu ao degrau mais alto do pódio três vezes, o alemão de 27 anos chegou a pensar em se aposentar prematuramente da categoria, como revelou o chefe da RBR, Christian Horner.

– Sebastian não gostou das mudanças de regulamento da F-1. Ele não gostou do novo motor, da unidade de força, do freio, da falta de downforce. Ele não estava feliz. Ele estava preocupado e seu companheiro de equipe ganhou três corridas. Houve aquela sensação de “estou gostando disso tanto quanto pensei que gostava?”. Era como se alguém tivesse tirado o brinquedo dele. Levou um tempo para ele se familiarizar com isso tudo. Ele passou por um período de desilusão sobre os rumores da F-1. Houve um período no ano passado em que ele pensou se queria parar ou não, se ele estava tendo o mesmo nível de prazer e se queria seguir em frente – disse o dirigente.

Leia também:  União vence e assume liderança da Copa FMF

Como resultado de sua fase de descontentamento com a Fórmula 1, Vettel decidiu buscar novos ares e acabou optando por deixar a RBR, após seis temporadas como titular do time austríaco. O tetracampeão acertou sua ida para a Ferrari e realizou um antigo sonho de criança: vestir o macacão vermelho da tradicional escuderia italiana. No entanto, sua primeira temporada na nova casa deve ser de mais provações, já que a equipe de Maranello está longe dos tempos de glória. Para Horner, os desafios do futuro podem servir de estímulo para o piloto, que substitui o espanhol Fernando Alonso e será companheiro de Kimi Raikkonen.

– O herói de infância de Vettel era Michael Schumacher e, claro, houve uma atração em relação à Ferrari. Para qualquer piloto, a marca, a história e a mística em torno da equipe são imensamente poderosas. E eu acho que Sebastian sentiu que era o momento certo em sua carreira para fazer essa mudança. Ele precisava de um estímulo de um novo desafio – analisou Horner.

Leia também:  Brasil começa a Copa enfrentando Suíça, Costa Rica e Sérvia

No ano passado, Vettel conquistou quatro pódios – um segundo e três terceiros lugares – e terminou o Mundial de Pilotos em quinto lugar, com 167 pontos, 217 a menos que o campeão Lewis Hamilton, da Mercedes. A Ferrari apresentará o carro de 2015 na próxima sexta-feira, apenas dois dias antes do início dos primeiros testes da pré-temporada, marcados para 1º a 4 de fevereiro, no circuito espanhol de Jerez de la Frontera. O campeonato da F-1 começa dia 15 de março, na Austrália. Confira aqui o calendário completo de provas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.