Após passar por uma profunda reformulação, a Ferrari não esconde de ninguém que está atrasada para o campeonato de 2015 da Fórmula 1. No entanto, a mudança de interpretação da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) sobre as regras de desenvolvimento dos motores deixou a tradicional escuderia italiana, que contará com Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, mais otimista para a temporada. Após argumentação da Ferrari e da Renault, a entidade admitiu não poder estabelecer uma data para homologação dos propulsores, que poderão ser alterados em até 48% durante todo o ano.

– Estamos começando a temporada um pouco atrasados, porque o desenho do novo carro começou mais tarde. Mas não precisamos congelar o motor para a primeira corrida, então será uma temporada bem interessante. Acredito que o carro ficará melhor ao longo do ano – disse o novo presidente da companhia, Sergio Marchionne, durante um congresso de automóveis nos EUA.

Leia também:  União tem desafio diante do Luverdense em Lucas

Marchionne, que assumiu a presidência da Ferrari no lugar de Luca di Montezemolo em outubro de 2014, confia em Maurizio Arrivabene (novo chefe da equipe de F-1) e James Allison (promovido a diretor técnico) para a escuderia de Maranello reagir em 2015.

– Temos um cara novo como chefe de equipe que está envolvido com corridas durante boa parte de sua vida profissional. E ele está muito ocupado agora. E temos outro cara, Allison, que está cuidando da parte técnica do negócio. Temos um time – declarou o mandatário.

Com relação à profunda reformulação recente na Ferrari, Marchionne disse que era preciso uma “chacoalhada” no time após uma “desastrosa” campanha em 2014. No ano passado, o time que não conquista um título de pilotos desde 2007 e de equipes desde 2008 ficou em quarto lugar no Mundial de Construtores, um resultado aquém da expectativa para a tradição da escuderia:

Leia também:  Atleta de Rondonópolis fica com cinturão do Conselho Mundial de Muaythai

– Era hora de uma mudança. Acredito que Luca fez um grande trabalho comandando o negócio durante 23 anos, mas não ganhamos um campeonato desde 2008. Tivemos uma temporada desastrosa em 2014 e acho que as organizações tendem a ficar preguiçosas. Por isso era hora de alguma mudança. No departamento de carros de rua o negócio está indo tremendamente bem, mas o coração do sucesso da Ferrari é o que acontece nas pistas de Fórmula 1. E se não consertarmos isso, se não lutarmos adequadamente, no fim haverá um impacto na marca. Por isso tivemos que intervir – explicou o dirigente.

A Ferrari lançará seu novo carro para 2015 no dia 30 de janeiro, às vésperas dos primeiros testes coletivos, marcados para o início de fevereiro. A temporada 2015 da Fórmula 1 começa dia 15 de março, na Austrália.

Leia também:  Torneio de tênis começa nesta quarta em Cuiabá
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.