Para que as câmeras de monitoramento da cidade dessem a resposta esperada pela população em relação ao combate e inibição de crimes seriam necessárias pelo menos 60 delas distribuídas em pontos estratégicos da cidade, inclusive nas saídas para as rodovias. Hoje, de 11 a 12, de um total de 19 câmeras funcionam perfeitamente, os dados foram repassados pelo Tenente Coronel Francinildo Pereira Barbosa, responsável pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp).

De acordo com o Tenente Coronel, de início foram instaladas 26 unidades, desse número 19 estão aptas a funcionar, mas devido a interferência no sistema de transmissão que é feito via rádio, apenas de 11 a 12 funcionam simultaneamente, ou seja pelo menos sete ficam paradas.

Leia também:  Prefeito afirma que a cidade terá decoração de Natal

Além dos problemas técnicos, apenas dois agentes de trânsito que foram cedidos, se alternam em horários para trabalhar e vigiar as imagens, o que é humanamente impossível considerando pelo menos 12 imagens. Porém mesmo com as dificuldades, o responsável afirma que as câmeras têm auxiliado em inquéritos policiais de acidentes e furtos.

Em entrevista ao site AGORA MT, o presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR), José Luiz, as câmeras ajudariam muito em maior número, já que o bandido fica inibido a cometer o crime, a identificação de suspeitos de prática de crimes seria mais fácil, além da sensação de segurança que daria tanto para os comerciantes quanto para a população que vai as compras e anda pelas ruas do centro. “As câmeras ajudam tanto antes como depois do crime e dão uma sensação de segurança que incentiva as compras” afirmou.

Leia também:  Cerca de 200 manifestantes pedem a volta da UTI Pediátrica em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.