Moradores de imóveis do programa do governo Minha Casa Minha Vida denunciaram graves problemas, tais como tráfico, presença de milícias, invasões e venda ilegal de imóveis, além de outros crimes como homicídios. As informações são do jornal Estadão deste domingo.

Desde abril de 2014, 108 denúncias foram realizadas em 16 estados pelos moradores do programa e enviadas aos Ministérios da Justiça e das Cidades.

Segundo a publicação, as denúncias mais frequentes envolvem a venda de drogas: em 70% dos casos, o comércio ilegal permite a presença de traficantes que expulsam, agridem e até mesmo assassinam os moradores. Depois do tráfico, o alvo de maior reclamação é a invasão de apartamentos. Em alguns condomínios, os moradores relataram, por exemplo, ter sido expulsos do imóvel – que foi transformado em boca de fumo.

Leia também:  Vereador extrapola na bebida e atropela mulher com duas crianças em SP

A lista foi obtida pelo jornal no Ministério da Justiça. O Ministério das Cidades informou que entre 1,5% e 2% do investimento feito na construção do condomínio é repassado às prefeituras das cidades para oficinas e criação de estratégias de desenvolvimento e acompanhamento das famílias – incluindo a capacitação de síndicos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.