neveA forte tempestade de neve que atinge os Estados Unidos deixou a paisagem branca em 12 estados do país norte americano. As informações são de acordo com o Jornal do tempo. Essa nevasca traz alguns impactos na agricultura que beneficiam o Brasil e consequentemente o estado de Mato Grosso-MT, considerado o maior produtor de soja do país.

Os produtores têm a possibilidade de ter o preço do produto valorizado devido à forte tempestade de inverno americano. As geadas podem comprometer a safra, abrindo espaço para maiores exportações no Brasil.

Em MT, os produtores vivem momentos de expectativa ante a possibilidade de um ganho em decorrência do clima frio e úmido que poderá atrasar o período de semeadura nos Estados Unidos, maior produtor mundial de soja e milho e principal concorrente do Brasil. As informações são de acordo com dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Leia também:  Começa nesta sexta a 2ª etapa de pagamento do PIS-Pasep a idosos

Estima-se que a safra de grãos norte-americana, que geralmente abastece o mercado internacional a partir de agosto, será colhida mais tarde neste ano, ampliando o período de entressafra no maior exportador mundial de grãos.

O atraso deve obrigar os importadores a buscar fornecedores alternativos para suprir seu consumo até que a oferta norte-americana se regularize e, segundo analistas, Brasil e Argentina tendem a preencher esse espaço.

NO CAMPO

Este ano, o excesso de umidade fez com que o plantio da safra 10/11 evoluísse com lentidão nos Estados sojaUnidos. Na virada de abril para maio, apenas 13% da área prevista para o milho havia sido semeada no país e o plantio da soja sequer havia começado. Normalmente, as plantadeiras já deveriam ter passado por 40% das lavouras do cereal e cerca de 10% das plantações da oleaginosa.

Leia também:  Agosto registra mais de 35,45 mil novas vagas de trabalho formal no país

Uma pausa nas precipitações nas últimas duas semanas, entretanto, permitiu a retomada dos trabalhos de campo, mas não eliminou os riscos. As chuvas comprometeram também o trabalho dos poucos produtores que conseguiram avançar com as máquinas no mês passado. De acordo com informações, as chuvas de abril deixaram cerca de 1,2 milhão de hectares de soja e milho debaixo d´água, obrigando agricultores a replantar lavouras danificadas ou até abandoná-las.

De acordo com o último boletim do Imea, os estoques mundiais continuam apertados, apesar do resultado altista do quadro de oferta e demanda. Na sexta-feira, o mercado recuou por conta de incertezas quanto ao plantio de milho nos Estados Unidos. Mas, no geral, a semana foi boa para a soja, que variou positivamente 12,50 pontos.

Leia também:  Conta de luz terá taxa extra de R$ 5 para cada 100 quilowatts-hora consumidos

NEVASCA AMERICANA

Ainda conforme dados do Jornal do tempo, o maior acumulo de neve ocorreu em Massachusets, com nove metros, seguido por Connecticut e New Hampshire, com sete metros. Na cidade de Nova York, acumulou cerca de 35 centímetros de neve no Central Park. Pelo menos sete estados decretaram situação de emergência.

Além da neve, a tempestade trouxe chuva muito forte e ventos intensos. No estado de Massachustes as rajadas atingiram os 125 km/h na terça-feira (27). O dia foi congelante, com temperaturas abaixo de zero, segundo dados de aeroportos espalhados pelos Estados Unidos, cerca de 100 cidades tiveram mínimas abaixo de -30°C.

 

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.