Sem economizar em emoção e adrenalina, Lewis Hamilton e Nico Rosberg estenderam a acirradíssima disputa pelo título mundial de 2014 até a última etapa. Este ano, no entanto, Hamilton pode não ter tanto trabalho assim para desbancar seu companheiro de Mercedes. Pelo menos é o que pensa o pai do atual campeão, Anthony, que se mostrou muito confiante sobre a nova temporada. O pontapé inicial para a disputa é o GP da Austrália, no dia 15 de março

– Nunca dá para saber, mas acho que se olharmos para todos os problemas que Lewis enfrentou no ano passado, acredito que se tudo tivesse corrido bem, ele provavelmente teria sido campeão na metade da temporada. Eu acho que a mesma coisa pode acontecer este ano. Se ele começar bem, o carro for bom, o desempenho for bom, acredito que Lewis ganhará o campeonato de novo este ano – afirmou Anthony, em entrevista ao site inglês “Sky Sports”.

Leia também:  Brasil dá show em Cuiabá e avança no Grand Prix

No ano passado, Lewis foi prejudicado por problemas de confiabilidade da Mercedes em momentos cruciais do campeonato, como na prova de abertura, na Austrália, e no GP do Canadá, em junho. O inglês terminou a temporada com três abandonos, um a mais que o companheiro Nico. Apesar do prognóstico otimista, Anthony sabe que o adversário alemão também estará mais dedicado a dificultar a vida do piloto britânico.

– Eu estou esperando 150% a mais do Nico para este ano. Acho que ele vai vir com uma mentalidade diferente, uma nova abordagem sobre como vencer Lewis. Eu acho que Nico repensou toda sua estratégia, porque ninguém é imbatível, você só precisa encontrar o caminho certo – avaliou o pai do bicampeão mundial.
Anthony prevê que a rivalidade interna na Mercedes desencadeará novos momentos de tensão entre os pilotos, que se conhecem desde os tempos do kart, mas acredita que os dois saberão manter o profissionalismo e evitar crises pessoais. No ano passado, episódios como o toque de Rosberg em Hamilton no GP da Bélgica fizeram os companheiros trocarem farpas e acusações fora das pistas, por meio da imprensa.

Leia também:  Derrota diante do Dom Bosco gerou prejuízo financeiro ao União

– Há muito respeito e amizade entre esses garotos, que se conhecem desde que tinham 13 anos. Mas, obviamente, estamos no auge de suas carreiras e será difícil evitar as tensões. Mas não são tensões pessoais, são apenas negócios. Seria o mesmo que trabalhar em um escritório com o seu melhor amigo. Depois do expediente, vocês ainda vão ser melhores amigos e sairão para tomar uma bebida, mas você gostaria de desbancar esse cara no trabalho. Então, a amizade é forte.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.