kit escolarO mês de janeiro já começou e alguns pais já se preparam para o período de compras de itens do material escolar. Quem deixou para última hora, vai sentir o peso no bolso. (leia mais) É nesse período que as papelarias ficam lotadas, com pais à procura dos itens pedidos nas listas apresentadas pelas escolas a cada novo ano letivo.

O Instituto de Defesa do Consumidor de Rondonópolis (Procon) recomenda que os pais fiquem atentos para a inclusão de itens de uso coletivo nas listas, o que é proibido por lei.

Não é permitida a inclusão de itens como papel higiênico, material de limpeza e grampeador, nem do giz utilizado pelo professor. Cartolinas e papel ofício são permitidos, desde que não seja em grandes quantidades. Além disso, as escolas não podem indicar a marca dos produtos pedidos ou papelarias de preferência. A única indicação de lojas permitida é para compra de uniformes.

Leia também:  Inflação para idosos sobe e acumula 3,53% em um ano

Junto com a lista de material entregue aos pais, a escola deve apresentar um plano de execução. Esse plano detalha as atividades em que o material solicitado será utilizado, bem como o objetivo desse uso.

Coordenador fala sobre o portal - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MTO coordenador executivo do Procon em Rondonópolis, Juca Lemos (foto ao lado), explica as escolas já foram alertadas sobre os abusos desde o ano passado. “Nós enviamos uma notificação explicando sobre a proibição da implantação de pedidos de materiais de uso coletivo nas listas” diz Juca.

O coordenador ainda pontua sobre a importância da apresentação de um Plano Pedagógico. “A escola é obrigada a apresentar um Plano explicando detalhes de como e em quais períodos os alunos irão utilizar os materiais solicitados na lista” explica o coordenador.

Leia também:  Tarifa de energia deve ficar no patamar 2, se escassez de chuva continuar

Juca ainda deixa algumas recomendações para que os pais mantenham o controle do bolso.

CONFIRA

1° Tente reaproveitar os materiais do ano passado;

2° Faça uma pesquisa na cotação dos preços dos materiais (existem diferenças de 20% a 30% de um mesmo material para outro);

3° Não leve as crianças para as compras. Elas podem se deixar seduzir pelas capas coloridas e desenhos, que são mais caros;

4° Reúnam um grupo de 10 a 15 pais e peça para o comerciante fazer um desconto;

5° Não esqueçam de pegar a nota fiscal.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.