Apenas três dias após a largada, o Rally Dakar 2015 já tem sua primeira vítima fatal. O polonês Michal Hernik, que competia na categoria motos, morreu nesta terça-feira (06), durante a disputa da terceira etapa, no trecho entre San Juan e Chilecito, na Argentina. As circunstâncias da morte ainda estão sendo investigadas. Hernik, de 39 anos, é o quinto participante a perder a vida desde que a principal competição off-road do mundo começou a ser disputada na América do Sul, em 2009.

Natural da cidade de Cracóvia, Hernik participava do Dakar pela primeira vez. O polonês pilotava uma KTM e usava o número 82. O corpo do piloto foi encontrado por um helicóptero médico, a 300 metros da pista, na altura do quilômetro 206 da Cuesta del Miranda, na província argentina de La Rioja, por volta das 16h (de Brasília). A organização da prova afirmou que o corpo não apresentava sinais de acidente.

Leia também:  Luve vence em casa e fica fora do Z-4

Às 14h37, a organização constatou a perda do sinal do Iritrack, um pequeno equipamento de rastreamento instalado em todos os veículos, que envia informações para uma central. Às 15h16m, a direção de prova foi informada de que Hernik não havia terminado o trecho cronometrado, e decidiu iniciar as buscas às 15h23m. O corpo do polonês foi encontrado às 16h03m, já sem vida. O diretor do Dakar, Etinne Lavigne, e o coordenador de relações públicas do rali, Gregory Murac, lamentaram a morte do piloto.

– A organização lamenta o falecimento do piloto Michal Hernik, que foi encontrado morte esta tarde no quilômetro 206, junto a sua morte. Como não tínhamos notícias de Michal, decidimos começar a procurá-lo, e o helicóptero médico o localizou às 16h03m. Os médicos tentaram reanimá-lo, mas o corpo já estava sem vida – declarou Lavigne.

Leia também:  Derrota diante do Dom Bosco gerou prejuízo financeiro ao União

– O corpo foi encontrado a 300 metros da pista, sem seu capacete, e a causa já está sendo investigada pelas autoridades argentinas. Gostaria de expressar minhas condolências à família, aos parentes e à equipe de Michal – acrescentou Murac.

No Facebook, uma página criada por fãs e amigos lamentava a morte do piloto. No ano passado, Michal participou do Desafio do Deserto de Abu Dhabi, prova que servia como preparação para esta edição do Dakar. Em 2013, o polonês disputou o Rally do Marrocos. Após duas etapas concluídas, Hernik ocupava a 84ª posição na classificação geral do Rally Dakar 2015.

Antes de Hernik, outros quatro participantes haviam perdido suas vidas durante provas do Rally Dakar na América do Sul: o francês Pascal Terry (2009), o argentino Jorge Martínez Boero (2012), o francês Thomas Bourgin (2013) e o belga Eric Palante, no ano passado. Palante, que participava do evento pela 11ª vez, foi encontrado morto após sofrer um acidente com sua motocicleta no trecho entre as cidades de Chilecito e Salta. Também na última edição, dois jornalistas que faziam a cobertura da disputa morreram quando o veículo que eles dirigiam capotou em um terreno acidentado, no norte da Argentina.

Leia também:  Projeto Mais Esporte, Mais Cidadania é lançado oficialmente em Rondonópolis

Para reduzir os riscos de acidentes fatais, a organização e os países-sede do evento se esforçam para oferecer segurança para participantes e espectadores. Cerca de 25 mil policiais trabalham na segurança do público, e sete helicópteros fazem o monitoramento da rota antes da corrida, para informar às autoridades e organizadores sobre possíveis perigos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.