Inquérito policial do crime - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Inquérito policial do crime – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

Investigadores da 2ª Delegacia de Polícia (Delegacia da Vila Operária), sob o comando do delegado Daniel Vendramel, elucidaram mais um crime no fim da tarde de hoje (07) e prenderam um homem como suspeito de ter cometido o assassinato.

Há cerca de 15 dias, o crime misterioso chamou a atenção dos moradores da região do bairro Luz D’Yara, em Rondonópolis. Uma mulher havia sido encontrada morta na manhã do dia 21, caída em um beco ao lado do Córrego Canivete, seminua, com sinais de estupro e liquido seminal entre as pernas. (Veja Detalhes e Fotos Aqui).

De acordo com informações, na noite anterior de sua morte a vítima foi vista por último em uma casa de shows localizada na Vila Operária. Ela foi identificada, trata-se de Cirlene Joana Souza, 38 anos.

Leia também:  Operação Convescote | Gaeco oferece denúncia contra 22 pessoas

Neste momento o suspeito foi encaminhado para a perícia técnica, para confrontar seu DNA com o sêmen encontrado na vítima, entretanto, de acordo com os investigadores, ele confessou ter matado a vítima.

Atualização 17h43 – O SUSPEITO

O suspeito foi identificado como Robson Lopes Alves, 19 anos. O mesmo possui diversas passagens pela polícia adquiridas ainda quando menor, por tráfico de entorpecentes, porte de arma, estupro de vulnerável, roubo e tentativa de homicídio. Atualmente ele estava preso no anexo da Mata Grande por receptação.

Suspeito que foi detido - Foto: AGORA MT
Suspeito que foi detido – Foto: AGORA MT

Atualização 18h45 – O CRIME

Conforme informações dos investigadores, Robson conhecia a vitima há muito tempo. Ele era irmão do ex-genro de Cirlene. No dia do crime ela estava em um baile e resolveu pedir carona para o suspeito que também estava no mesmo ambiente.

Leia também:  Rapaz se relaciona com esposa de detento e é baleado

Na ida para casa, eles resolveram parar próximo do córrego para fazer relações sexuais. Após o ato, o suspeito Robson teria cobrado um dinheiro que de acordo com a versão dele em depoimento, a mesma o devia.

Como Cirlene disse não ter o dinheiro, o suspeito desferiu um soco no olho da vítima, a estrangulou com um golpe conhecido como “gravata”, e depois fugiu ao perceber que ela tinha perdido o fôlego.

 Atualização 18h55 – A INVESTIGAÇÃO

A PJC chegou até Robson depois de um longo trabalho colhendo depoimentos de pessoas que estavam no baile. Aos poucos as investigações foram apontando Robson, até que o mesmo foi localizado e confessou a autoria do crime.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.