O Projeto “Novos Passos”, desenvolvido na cadeia pública de Barra do Garças desde setembro do ano passado, concluiu este mês mais uma etapa de qualificação dos recuperandos. Desta vez, a população carcerária teve acesso a um ciclo de palestras sobre “Microempreendedor individual”, com informações e orientações sobre as vantagens da formalização do próprio negócio. O curso foi viabilizado por meio de uma parceria entre os realizadores do projeto, que são o Ministério Público, Poder Judiciário, Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, e o Sebrae de Barra do Garças.

“A iniciativa é resultado da parceria e comprometimento de diversas instituições da rede socioassistencial do município. Estamos promovendo, por meio deste projeto, o reingresso dos recuperandos ao convívio social e a sua ressocialização”, destacou o promotor de Justiça Wdison Luiz Franco Mendes.

Leia também:  Programa de formação de lideranças gera resultado em escolas

Segundo ele, além da capacitação profissional, os recuperandos e suas famílias estão sendo inseridos em diversas políticas e programas sociais, como emissão de documentos pessoais, assistência social, previdência, educação, saúde, empreendedorismo, assistência jurídica, cultura, esporte e lazer. Atividades de alfabetização e séries intermediárias também estão sendo oferecidas.

No ano passado, conforme o promotor de Justiça, a população carcerária teve a oportunidade de participar de cursos profissionalizantes de garçom e pintura oferecidos pelo Serviço de Aprendizagem Comercial (Senac) e Serviço de Aprendizagem Industrial (Senai). A Empresa de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Empaer) também disponibilizou curso de Hortifrutigranjeiro.

“Está sendo desenvolvido, ainda, projeto de remição pela leitura, além do grupo de apoio a dependentes químicos que necessitam de tratamento intensivo contra o uso e abuso de álcool, crack e outras drogas”, acrescentou. O projeto prevê, ainda, a possibilidade dos recuperandos que cumprem pena no semiaberto frequentarem aulas de reforço aos sábados à tarde.

Leia também:  Foi comprar remédio e descobriu que estava morta

A assistente social do MPE, Annelyse Cristine Cândido Santos, destaca que as atividades desenvolvidas no projeto foram definidas com base nos perfis sociais de todos os recuperandos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.