Uma jovem jogadora da seleção brasileira de vôlei tem se destacado nas categorias de base e também na Superliga. Mas não é apenas pela atuação. A líbero Juliana Paes, do Rio do Sul, chama logo a atenção pelo nome igual ao da consagrada atriz da Globo.

Com apenas 20 anos, Juliana Paes Filippelli já se acostumou com as comparações com a xará famosa, 15 anos mais velha. Aliás, essa semelhança fez com que a atleta decepcionasse uma atendente do cabeleireiro que frequenta.

“As pessoas brincam (com o nome igual). Uma vez marquei um horário no salão e a atendente ficou meio decepcionada quando quem chegou fui eu e não a atriz”, disse a atleta.

Leia também:  Cuiabá, Sinop e Sorriso lideram ranking estadual de tênis de MT

Segundo a atleta, essa coincidência já foi motivo para pessoas se aproximarem dela. “Essa coincidência dos nomes já foi início de conversa com muitas pessoas que talvez não viessem falar nada comigo, aí é bem legal”, falou.

O mesmo nome da atriz também é alvo de brincadeiras dos amigos de Juliana, que chegam até a compará-la com a atriz, eleita a mais sexy do mundo pela revista VIP em 2012.

“Alguns amigos que gostam de fazer graça, falam que eu sou mais bonita que ela e tudo mais, mas sei que fazem isso só para ganharem ingressos para os jogos”, completou.

Mas, Juliana não é apenas destaque apenas fora da quadra. Ela já foi eleita a melhor passadora do Sul-Americano de 2012 e aparece como a quinta melhor defensora da atual temporada da Superliga.

Leia também:  Campeonato de futebol society acontece em zona rural de Rondonópolis

Para uma chance na seleção, Juliana sabe que tem um longo caminho a percorrer ainda. Afinal, a dona da posição no momento é Camila Brait, a única a atuar em todas as partidas do último Mundial (primeiro dela como titular), e que ainda tem 26 anos.

“A seleção vai acabar passando por um processo de renovação naturalmente e eu sonho com esse espaço. Espero fazer uma boa Superliga esse ano e continuar crescendo. Ano que vem terá o Mundial sub-23, que é uma boa oportunidade de estar perto dos meus ídolos e quem sabe no futuro ter uma chance”, afirmou.

“É um grande sonho jogar uma Olimpíada e jogar em casa seria maravilhoso. Acho que a seleção já está bem servida de líbero nesse ciclo, mas vou me manter focada 100%, porque se aparecer alguma oportunidade vou querer aproveitar”, finalizou a líbero que tem a bicampeã olímpica Fabi, do Rexona/Ades como referência na posição.

Leia também:  União vence e assume liderança da Copa FMF
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.