O comércio atacadista de materiais de construção recuou 6,6% ao longo do ano passado na comparação com 2013, período em que foi registrado crescimento de 3% em relação a 2012. Essa queda, no entanto, ficou ligeiramente abaixo do esperado pelo setor (7%).

Segundo o balanço divulgado hoje (23) pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), em 2014 a procura foi mais concentrada nos itens de acabamento. Para este ano, a previsão é um crescimento de 1%.

Por meio de nota, o presidente da Abramat, Walter Cover, justificou que essa projeção de alta está condicionada à expectativa de que o governo federal mantenha os incentivos fiscais para o setor.
Além disso, o executivo destacou que a indústria de construção conta com mais investimentos em casas populares, com recursos do Programa Minha Casa, Minha Vida. Ele acredita em um cenário de equilíbrio na economia com “um câmbio mais realista e na manutenção das políticas de renda e emprego”.

Leia também:  Déficit previdenciário dos estados cresceu 10% em 2016

De janeiro a dezembro do ano passado, enquanto os materiais de acabamento tiveram queda de 4,1%, os itens básicos caíram 8,2%. No levantamento em geral, o mês de dezembro indicou um recuo nas vendas de 0,5% sobre o mesmo mês de 2013. Na comparação com novembro, houve retração de 6,5%.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.