O que soou como desrespeito para muitos, para Anderson Silva foi algo perfeitamente normal. Fãs lamentaram a ausência de Nick Diaz no treino aberto do UFC 183, realizado na quarta-feira, mas o Spider preferiu não gerar polêmica com seu adversário de sábado. Com uma cabeça totalmente “relax”, o brasileiro não deu bola para o ocorrido. Pelo contrário. Alongou seu treino em frente aos torcedores, fez a alegria deles e deu seu show particular.

– O Nick faltou porque perdeu o voo. Não é um desrespeito. Os fãs gostariam que ele estivesse aqui, mas ele perdeu o voo, é normal – afirmou Anderson.
Parado há 13 meses desde que fraturou a perna esquerda na revanche com Chris Weidman, o ex-campeão dos médios do UFC aparentou a tranquilidade de sempre na entrevista para os jornalistas presentes pós-treino aberto. Anderson disse se sentir um estreante.

– O carinho dos fãs, a forma como estão me recebendo, isso está sendo bastante importante. Me sinto como se estivesse estreando no UFC. Estou bem feliz por isso.

A seguir, veja a entrevista do Spider na íntegra, por tópicos:

Ausência de Nick Diaz:
– Aconteceu o mesmo que aconteceu comigo. Eu também perdi meu voo para cá. Acho que houve o mesmo com ele, não sei.

Treinou pelos dois?
– Não, eu sempre faço isso. Treinei bastante, e a gente está naquela fase de perder peso, né?

Leia também:  Meninas do vôlei vencem a primeira em Cuiabá

Calor do público:
– Estou muito feliz, muito empolgado.

Mais leve:
– Acho que é o carinho das pessoas, por todo esse tempo que fiquei parado. O carinho dos fãs, a forma como estão me recebendo, isso está sendo bastante importante. Me sinto como se estivesse estreando no UFC. Estou bem feliz por isso.

Apoio dos brasileiros no treino aberto:
– Queria agradecer a todos eles, aos que estão no Brasil, e aos críticos também. Quero agradecer a todos, vou dar o meu melhor e tentar vencer a luta.

Reação na volta ao octógono:
– Não sei, vai depender de como começa a luta. Quando tiver o primeiro contato, vou saber.

Visita à casa do TUF Brasil em Las Vegas:
– Foi legal, bacana. Os meninos estão bem empolgados. Acho que vai ser bem legal esse TUF. O Shogun é um amigo antigo, a gente já treinou junto e está com a mesma filosofia.

Motivação do TUF:
– É tentar fazer que esses garotos entendam o quanto é importante eles saberem qual é a filosofia das artes marciais e que consigam realizar o sonho deles, que é ser lutador do UFC.

Sentiu falta da adrenalina?
– É bom estar de volta. Me sinto muito em casa no UFC. Estou bem feliz com tudo o que está acontecendo e espero fazer uma boa luta contra o Nick Diaz no sábado.

Leia também:  União começa neste domingo sonho de voltar à Copa do Brasil

Dieta:
– No treino aberto a gente treinou um pouquinho mais porque ontem (terça) eu fui no fast food (risos).

Falta de Nick é um desrespeito?
– O Nick faltou porque perdeu o voo. Não é um desrespeito. Os fãs gostariam que ele estivesse aqui, mas ele perdeu o voo, é normal.

Relaxado:
– Estou feliz com a minha volta. Só o fato de estar pisando aqui de novo, depois de tudo o que aconteceu, do ano horrível que passei, tenho que estar feliz e agradecer a Deus, pedir a Ele só para me dar sabedoria para lidar com tudo isso de novo e seguir em frente.

Pensa na perna?
– Não penso mais, isso é passado.

Parte mais difícil do camp:
– A parte mais difícil foi a fisioterapia, para voltar a força da perna, a agilidade dos movimentos. Isso foi um pouquinho mais difícil.

Melhor vibe da vida:
– Foi um ano em que fiquei com a minha família, com meus filhos e meus amigos de verdade. Alguns vão, outros vêm, os que são reais ficam. Foi isso que aconteceu. Estou muito feliz. Também acho que é a idade, né? A idade também te deixa  mais tranquilo (risos).

Leia também:  Diretoria do União decide manter 15 jogadores que disputaram a Série D

Equipe grande:
– São as pessoas que sempre estiveram comigo. Alguns não puderam vir. São umas 45 pessoas no total.

Sentimento da família na volta:
– Eles continuam preocupados. O Kalyl, meu filho, não quer (que Anderson continue lutando) de jeito nenhum, aí tive que fugir dele.

Luta mais importante da carreira?
– Acho que neste momento é. Depois que passar, virão outras. Todas elas foram importantes. Esta, neste momento, é a mais importante, sim.

Anderson Silva retorna ao octógono neste sábado, contra Nick Diaz, no UFC 183. O evento terá transmissão ao vivo do Combate a partir de 21h30 (de Brasília). O Combate.com fará o acompanhamento de todos os detalhes em Tempo Real. Na sexta-feira, canal e site transmitem a pesagem oficial a partir das 21h45. Confira o card completo:

UFC 183
31 de janeiro de 2015, em Las Vegas (EUA)
CARD PRINCIPAL
Peso-médio: Anderson Silva x Nick Diaz
Peso-meio-médio: Tyron Woodley x Kelvin Gastelum
Peso-leve: Joe Lauzon x Al Iaquinta
Peso-médio: Thales Leites x Tim Boetsch
Peso-meio-médio: Jordan Mein x Thiago Alves
CARD PRELIMINAR
Peso-galo: Miesha Tate x Sara McMann
Peso-médio: Ed Herman x Derek Brunson
Peso-mosca: Ian McCall x John Lineker
Peso-médio: Rafael Sapo x Tom Watson
Peso-pena: Diego Brandão x Jimy Hettes
Peso-médio: Rick Monstro x Ildemar Marajó
Peso-médio: Thiago Marreta x Andy Enz

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.