A Mercedes teve um dia atípico nos testes da pré-temporada da Fórmula 1 desta quinta-feira em Barcelona, na Espanha. Lewis Hamilton deu apenas 48 voltas, todas no período da manhã, até que a equipe identificou um problema no MGU-K, elemento que promove a recuperação de energia cinética, e encerrou as atividades do dia.

O problema é raridade na preparação do time, único que ultrapassou as 1000 voltas nos nove dias de testes realizados até aqui.

O atual campeão do mundo não acredita que a falta de tempo de pista nesta quinta-feira seja muito prejudicial para a equipe. O inglês fechou o dia em terceiro lugar, com um tempo marcado com pneus médios. Felipe Massa, da Williams, foi o mais rápido, com os macios, e Marcus Ericsson, da Sauber, foi o segundo, com os supermacios.

Leia também:  FMF confirma participação na Copa do Brasil de Seleções Estaduais Sub-20 da CBF

“Não acho que nos prejudica. Os testes são difíceis. Claro que, se você tem um dia todo ensolarado, os pneus estão funcionando e a todo momento você pode sair e fazer várias mudanças e aprender coisas sobre o que você quer do carro, é melhor. Então, naturalmente, é isso que ficou faltando para nós.”

Com apenas um dia de preparação antes de ir para a Austrália, onde a temporada vai começar dia 15 de março, Hamilton espera conseguir uma quilometragem maior no sábado, quando volta a andar no W06.

“Tenho mais um dia e tomara que ele seja limpo e, se pudermos conseguir 150 voltas, seria ótimo. Fazer muitas mudanças e tentar entender onde eu quero que o carro esteja para a primeira corrida só para ter todo esse conhecimento no banco é a prioridade, então você vai saber que tipo de problemas vai enfrentar nas provas iniciais. Só falta um dia agora, mas acho que estaremos bem.”

Leia também:  Cuiabá Arsenal embarca em busca de vaga na final do brasileiro
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.