A Ferrari está mesmo confiante de que Sebastian Vettel pode ser a peça que faltava para retomar seu sucesso na Fórmula 1. O chefe da escuderia italiana, Maurizio Arrivabene, afirma que tem ficado surpreso com inúmeras semelhanças entre o alemão de 27 anos e Michael Schumacher – que comandou o último ciclo de glórias do time de Maranello nas pistas, com a conquista de cinco títulos mundiais entre 2000 e 2004.

– Eu acompanhei de perto a época de Michael, que era o coração da equipe, e devo confessar que há muitos momentos em que vejo Vettel e fico emocionando e espantado com alguns aspectos em que ele é uma cópia carbono do Schumi. As pessoas que tiveram contato com ambos ficarão impressionadas com as semelhanças. Esperamos que, com o tempo, os resultados também sejam os mesmos – disse Arrivabene, que começou a se envolver com a Ferrari no final da década de 1990 e foi alçado ao posto de chefe da escuderia em novembro do ano passado.

Leia também:  Reway estará em jogo das eliminatórias da Copa do Mundo

Antes de Vettel, a aposta da Ferrari para repetir o ciclo de sucesso de Schumacher havia sido Fernando Alonso, que chegou à escuderia italiana em 2010. O espanhol conseguiu chegar bem perto do título em duas ocasiões (2010 e 2012), mas não contou com um carro competitivo o bastante para fazer frente aos adversários. No ano passado, a situação se complicou ainda mais, e o time não marcou nenhuma vitória ao longo da temporada – algo que não acontecia desde 1993. Frustrado, Alonso rumou para a McLaren, abrindo espaço para a contratação de Vettel.

Os fãs estão esperançosos de que o cenário mudará em 2015. Na primeira sessão de testes da pré-temporada, em Jerez, na Espanha, a Ferrari mostrou que tem potencial para competir em pé de igualdade com as rivais, emplacando o finlandês Kimi Raikkonen e Vettel no topo da tabela de tempos. Arrivabene não esconde a empolgação com os primeiros resultados, mas repete o discurso do presidente Sergio Marchionne e prefere não subestimar o poder de suas principais concorrentes.

Leia também:  Atleta rondonopolitana é ouro no salto em altura

– O teste mais importante está por vir, porque na Austrália todas as equipes devem mostrar suas cartas e jogar as máscaras fora. A Mercedes estava escondendo seu potencial em Jerez. E a Honda pode trazer surpresas positivas, então não podemos exclui-la do jogo. Eu tenho grandes sonhos, mas meus pés estão no chão. Nós olhamos para o futuro e, desde que cheguei a Maranello, fiquei impressionado com o desejo de todos que trabalham aqui em voltar a vencer, e isso é o mais importante – arrematou.

Nesta quinta-feira, Barcelona se torna palco da segunda sessão de testes da pré-temporada, com duração até o domingo. A capital da Catalunha recebe ainda mais uma bateria de atividades, de 26/02 a 1º/03. A primeira etapa do campeonato está marcada para o dia 15 de março, na Austrália.

Leia também:  Palmeiras assume a vice-liderança após vencer Grêmio fora de casa
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.