O ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva passou de julgador para acusado após uma denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) no dia 30 de janeiro deste ano. Julier seria suspeito em crimes como de lavagem de dinheiro e corrupção ativa e passiva, praticados ainda quando era juiz. Além dele também consta na denúncia como acusado o empresário Osvaldo Alves Cabral.

Conforme o MPF, a investigação por meio de monitoramento telefônico, quebra de sigilo bancário, busca e apreensão, colheita e análise de informações e oitiva de pessoas comprovou que Julier cometeu crimes funcionais quando exerceu a titularidade da 1ª Vara da Justiça Federal de Mato Grosso atuando em processos de interesse do grupo representado por Osvaldo Cabral, que atuava como lobista de empresas na área de construção civil. Ele deixou o cargo de magistrado em abril de 2014 para tentar carreira política.

Leia também:  Consórcio Rio Verde vai gerir Ganha Tempo de Rondonópolis

Em troca, o então juiz federal recebia uma mesada e tinha despesas ligadas ao seu projeto pessoal e político pagas com dinheiro vindo de empresas beneficiadas por decisões dele enquanto juiz e que mantinham contratos diretos ou indiretos com o Governo do Estado.

Após a denúncia Julier emitiu uma nota negando que tenha cometido qualquer ato irregular. “Reafirmo a confiança nas instituições envolvidas e a minha surpresa e indignação em face das notícias em questão, consignando que sempre pautei minha conduta pessoal e profissional com a mais absoluta ética, imparcialidade e seriedade, como é do conhecimento de toda a sociedade mato-grossense”, diz em nota.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.