A despesa com os juros que incidem sobre a dívida pública, que em janeiro somou R$ 18 bilhões, foi a menor para o mês desde 2010. Em janeiro daquele ano, os gastos ficaram em R$ 14,129 bilhões. O chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel, reafirmou que as operações de swap cambial feitas pela instituição foram o principal fator de influência.

Os leilões de swap são vendas de dólares no mercado futuro que, segundo o BC, tiveram resultado favorável de R$ 10,8 bilhões em janeiro. Em função disso, houve superávit nominal – formado pelo resultado primário mais as despesas com juros – de R$ 3,041 bilhões. É a primeira vez que o resultado nominal fica positivo desde janeiro de 2013.

Leia também:  Agosto registra mais de 35,45 mil novas vagas de trabalho formal no país

Maciel frisou que, embora as operações de swap possam influir no resultado fiscal, o objetivo primordial é reduzir a volatilidade do mercado de câmbio. No fim de 2014, a autoridade monetária informou decisão de estender até 31 de março deste ano o programa de leilões de swap, adotado desde agosto de 2013. O programa ajuda a conter a alta do dólar.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.