A presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira (25), que o governo não tem como baixar o preço do diesel. A redução é uma das reivindicações dos caminhoneiros que bloqueiam rodovias de pelo menos nove Estados do país desde domingo. “O governo não tem como baixar o preço do diesel”, disse ela após participar de cerimônia de entrega de casas do programa Minha Casa, Minha Vida em Feira de Santana (BA).

A presidente defendeu a política de preços do governo para os combustíveis, que não é diretamente vinculada à cotação internacional do petróleo, e afirmou que a estratégia será mantida.

“Passamos 2013 e 2014 sob um conjunto de críticas dizendo que governo e Petrobras tinham que elevar preço (dos combustíveis). Não elevamos, passamos todo o período de US$ 100 a US$ 120 o barril sem mexer significativamente nos preços. E agora também não mexemos, o que fizemos foi recompor a Cide.(Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), e não elevamos uma vírgula o preço, nem abaixamos. A política sempre é melhor quando ela é estável, o que não é possível é submeter o país à política dos preços do petróleo” argumentou Dilma.

Leia também:  Distritão mudaria o quadro de eleitos da Câmara de Rondonópolis

Ao defender as medidas de ajuste fiscal promovidas pela equipe econômica neste segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff ressaltou que promove “algumas correções”, “como uma mãe, como uma dona de casa” faz com o orçamento doméstico. “Precisamos fazer ajustes e faço ajuste no meu governo como a dona de casa faz na casa dela”, acrescentou.

A presidente tratou as medidas como ajustes que propiciarão a retomada de “um novo ciclo de desenvolvimento econômico para gerar mais emprego, mais renda e fazer com que o Brasil continue a crescer de forma acelerada”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.