Fazenda onde ocorreu o crime - Foto: AGORA MT
Fazenda onde ocorreu o crime – Foto: AGORA MT

A jovem Andréa Vilela Lima, 37 anos, acusada de ter assassinado o seu padrasto Ademar Costa Lima, 60 anos, em 2012, com uma barra de ferro enquanto ele dormia, foi condenada nesta semana no Fórum de Guiratinga, a reclusão de 25 anos e seis meses. Já sua amiga e comparsa no crime, Márcia Almeida Chaves, teve uma pena menor, 14 anos de reclusão e o direito de recorrer em liberdade pelo fato de “ser portadora de inúmeros transtornos psicológicos, estando com sua saúde debilitada”, conforme apontou o processo.

A sessão do Júri foi presidida pelo Juiz de Direito, Dr. Jean Garcia de Freitas Bezerra, e teve como membro do Ministério Público o Dr. Marcelo Domingos Mansour. Os advogados da ré Márcia foram o Dr. Stalyn Paniago Pereira e Dr. Arionaldo Madeira Costa.

Leia também:  Criminosos fazem três assaltos seguidos e são presos no Jardim Adriana

O resultado do julgamento deixou a população de Guiratinga e Tesouro com a certeza de mais segurança e o sentimento de justiça cumprida, vendo que as rés foram condenadas.

O CRIME
Ademar foi assassinado em sua fazenda, localizada no Distrito Batovi, que fica no município de Tesouro (distante há quilômetros de Rondonópolis). A causa do homicídio teria sido motivada por herança.

Na época, o delegado responsável pela investigação do caso Henrique Meneguelo, contou que enteada planejou o crime e teria sedado o pai e a mãe na hora de dormir. “Ela colocou algum sedativo na comida ou bebida deles e a intenção era que a mãe não visse o crime”, disse.

VEJA MAIS DETALHES E FOTO – Enteada é acusada de dopar padrasto e matá-lo com barra de ferro

Leia também:  Durante fiscalização em rodovia, PRF detém homem com mandado de prisão em aberto
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.