A emenda no projeto do Código Municipal Tributário, feita no fim do ano passado pela Câmara Municipal de Guiratinga, foi vetada pelo prefeito Hélio Goulart (DEM). Por isso, o veto foi apreciado e discutido durante a 1ª sessão ordinária de 2015, realizada na tarde de hoje (19). A maioria dos vereadores acompanharam o relatório das comissões e aceitaram parcialmente o veto.

Contudo, o assunto ainda polêmico, novamente gerou mais diversões. O presidente da Casa de Leis, José Serafim (PR), explicou que a intenção do Executivo era subir 100% o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em três anos, mas após intervenção da Câmara, o prazo desse aumento foi dividido em dez anos.

“Quanto ao imposto, o veto do prefeito foi aceito pois a emenda tiraria receita do município”, esclareceu, Serafim.

Leia também:  Vereador Thiago Silva questiona valores cobrados pelo Pátio Rondon e pede providências

Em contra ponto, para o vereador Marcílio Porto (SDD), os impostos têm que ser iguais para todos. “Os pequenos empresários também precisam de auxilio, não é justo apenas os cartórios e os hospitais serem beneficiados”, concluiu.

OUTRO VETO
Um outro veto que também acabou sendo apreciado pela Casa de Leis é com relação ao projeto “Patrulha Mirim” do vereador Luiz Mário (SDD). Entretanto, neste caso, o veto do prefeito foi aceito.

“A participação do Executivo foi retirada e vamos apresentar novamente o projeto”, disse, Luiz Mario.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.