O horário de verão pode ser ampliado por mais um mês. O caso está sendo estudado pelo governo e tem como objetivo diminuir o consumo de energia neste ano.

Representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica e da Empresa de Pesquisa Energética estarão reunidos na próxima quinta-feira (12), para discutir se o prazo do horário diferenciado deverá ou não ser ampliado. As informações são de acordo com o Ministério de Minas e Energia.

De acordo com informações, um dos argumentos que será debatido pelos técnicos é o deslocamento que vem sendo verificado neste horário de maior consumo de energia, que ultimamente tem sido registrado por volta das 14h. Neste caso, a prorrogação do horário de verão não seria necessária.

Leia também:  Cerca de 746 segurados têm benefícios do INSS cancelados em Mato Grosso

Segundo o ministério, não há, em princípio, uma predisposição do governo em ampliar o período de vigência do horário de verão, esta é apenas uma das alternativas que estão em estudo, mas não há nada definido.

No início do horário de verão deste ano, a estimativa do governo era uma economia de R$ 278 milhões, com geração de energia térmica no horário de pico. Na edição anterior, a economia foi R$ 405 milhões.

HORÁRIO DE VERÃO

O horário de verão começou no dia 19 de outubro para os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e, em princípio, acabaria no dia 22 de fevereiro.

O principal objetivo da medida é reduzir o consumo de energia no horário de pico, registrado a partir das 18h, aproveitando melhor a luminosidade natural.

Leia também:  Confira dicas para cuidar da pele e reduzir irritações durante o barbear | Moda e Beleza

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.