Previsto para terminar no próximo dia 22, o horário de verão poderá ser ampliado em Mato Grosso e demais Estados, devido o risco de faltar energia elétrica nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e também para não aumentar o consumo em alguns horários. É cogitado prorrogar por um mês o horário e a decisão deve ser tomada nesta quinta-feira (12), em Brasília, por representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica e da Empresa de Pesquisa Energética.

O governo estima economizar cerca de R$ 278 milhões, com a geração de energia em horário de pico. Ano passado a economia foi de R$ 405 milhões. O horário de verão iniciou dia 19 de outubro.

Conforme Só Notícias já informou, o risco de déficit de energia no Sudeste e Centro-Oeste subiu de 4,9% em janeiro para 7,3% este mês. No Nordeste, o índice se manteve estável, em 1,2%. Os dados foram divulgados pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), grupo técnico do governo que estuda o setor.

Leia também:  Exposição sobre Santos Dumont encanta estudantes ao unir lazer e conhecimento

O conselho também divulgou um percentual de risco de déficit considerando um cenário com despacho pleno de usinas térmicas. Neste caso, o risco de faltar energia foi estimado em 6,1%  para as regiões Sudeste e Centro-Oeste e de zero para o Nordeste. Nos dois casos, o índice supera a margem de 5% de risco, considerada tolerável pelo Conselho Nacional de Política Energética.

De acordo com o comitê, o Sistema Interligado Nacional tem condições estruturais para o abastecimento de energia no país, embora as principais bacias hidrográficas onde estão os reservatórios das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste tenham enfrentado uma situação climática desfavorável no período úmido do ano anterior.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.